Poucas & Boas: Tudo começa com um “D”

1 – Destruída

BA 393 vai ser recuperada, finalmente! (foto: Jorge Souza)

O anúncio da recuperação da BA 393 repercutiu bem em Heliópolis. A nossa região é marcada pelas péssimas condições das estradas, mas chegou a ficar por um tempo com as rodovias em bom estado. Houve uma época em que era possível andar 500 quilômetros sem encontrar um único buraco. Hoje, são 500 buracos por quilômetro. A BA 393, a BR 110, A BR 116, a SE 270… Todas em estado de miséria. Se for medir a capacidade dos nossos governantes pelas estradas que temos, nossa! No estado vizinho de Sergipe, então, não existe governador há muito tempo!

2 – Divergentes

Na nossa região, os municípios com maiores índices de contaminação pela Covid-19 são Ribeira do Pombal, Itapicuru e Nova Soure. Mas preocupam os números apresentados pela Prefeitura de Cícero Dantas. O nível de detecção por testes rápidos está altíssimo, superior a 18%. Além disso, os números não batem com os da Secretaria de Saúde da Bahia. Os casos na Sesab estão em números bem menores. Nós sabemos que a oficialização demora um pouco, mas está demais! Ribeira do Pombal já divulgou 9 mortos há muito tempo e só aparecem 4 óbitos nos registros. Esta demora explica porque a Bahia estava em oitavo lugar em número de casos no Brasil, bem longe de Ceará, Pernambuco e Maranhão. Agora ostenta um desonroso 2º lugar, com mais de 200 mil casos, perdendo apenas para São Paulo. Em várias cidades da nossa região, os números divergem dos da Sesab. Heliópolis é uma das poucas em que há convergência: 38 casos registrados.

3 – Desamor

E por falar em números, há uma camada de ódio que está deixando as redes sociais insuportáveis. Não se pode postar nada que reflita a verdade. Logo, logo os negacionistas de plantão caem de paus e pedras sobre quem postou. Os palavrões são os mais tórridos: “vá tomar no…”, “fio do cão!”, “satanás!”, “fio do cabrunco!”, “fii de rapariga”, “fio de uma égua!” e os menos tóxicos “babaca!”, “idiota!”, “maluco!”, sem falar nas “fake News” ou a tradicional “É mentira!”. Isso, sem escolher a quem diz e, em muitos casos, sem ler o texto da reportagem. Acreditamos que tudo isso explica porque homens como Lula e Bolsonaro ainda lideram as pesquisas políticas neste país. Ainda estamos aprendendo a andar nesta coisa de Democracia ou de liberdade de expressão. A falta de educação (familiar e escolar) faz revelar no ser o seu lado mais selvagem. As pessoas só querem ouvir aquilo que acreditam. Se continuar nessa balada, em breve não haverá mais espaço para a palavra “amor”, muito menos “amor ao próximo”.

4 – Desonra

Deltan Dallagnol e Sérgio Moro perseguidos como bandidos (imagem: Gazeta Brasil)

O por falar em amor ao próximo, vejam quão humanos são alguns ministros do STJ e do STF. Por causa desta bendita pandemia, com o argumento de se fazer necessária a precaução, e também em nome do bem-estar social do acusado, não vai ficar nenhum corrupto mais na cadeia. O Brasil virou o paraíso dos assaltantes do dinheiro público. Por outro lado, o Congresso, O STF, o STJ, Bolsonaro, PGR, partidos de esquerda e até a OAB se unem contra o inimigo comum: Os procuradores da Lava Jato. Só sossegarão quando eliminarem Sérgio Moro e Deltan Dallagnol. Enquanto isso, Ruy Barbosa se vira no túmulo e, numa oratória fúnebre, afirma, com todas as letras, que vivemos os tempos dos honestos sentirem vergonha dos seus atos de probidade e honra.

5 – Desgraça

Professor Rocky fora da disputa eleitoral (imagem: WhatsApp)

Foi por terra o projeto do MDB em Heliópolis para voltar a ter um representante na Câmara Municipal de Heliópolis. A coligação que teria Claudivan Alves, Zé do Sertão, Nilda Santana e Professor Rocky foi por água abaixo. Rocky, Nilda e Zé do Sertão queriam entrar na chapa com Mendonça. Por resistência do grupo ou força eleitoral, os três nomes naufragaram. Sobreviveu a ex-vereadora Naudinha como vice, o mesmo que trocar 6 por meia dúzia. Mendonça não diz, mas a aliança com o ex-prefeito está sendo um fiasco, menos para os seguidores cegos das duas lideranças. É uma pena que a chapa não seja efetivada, o que ainda há tempo. Seria ótimo para medirmos o peso eleitoral de Zé do Sertão. Nas últimas duas eleições, ele não se elegeu para vereador e nem conseguiu eleger a filha. Sua eleição para vice-prefeito ocorreu na popularidade de Ildinho. Qualquer outro vice daria mais votos ao atual prefeito, mas derrubar um mito requer tempo. As pessoas tendem a crer no passado e espantar a realidade. Só depois da eleição se verá que alguns nomes, por carregarem alta rejeição, tiram mais votos que os que trazem.

6 – Desassossego

Que o resultado da eleição está longe, todo mundo sabe. A disputa entre Thiago Andrade (PSD) e José Mendonça (PL) tem sempre um favorito: o seu candidato. É verdade que Thiago leva hoje certa vantagem, mas nada que garanta alguma coisa. Também é verdade que Maria Conceição, Ana Dalva, Valdelício de Gabriel, José Clóvis, Manoel Rodrigues, Doriedson e Giomar Evangelista levam certa vantagem na disputa sobre os demais candidatos à câmara por já serem vereadores. Mas, com a saída de Claudivan, duas vagas estão abertas para novos vereadores. A incógnita é com relação à chapa da oposição, que sairá com poucos candidatos. Há nomes favoritos que agora contam a companhia da senhora Claudivan Alves. Isso mesmo! O vereador vai lançar a esposa em seu lugar. Ela está filiada ao PL. Tem candidato a vereador que entrou em desassossego.

7 – Desenvolvimento

Praça do João Grande inaugurada (foto: Ascom/PMH)

O deputado federal José Nunes e o prefeito de Heliópolis Ildefonso Andrade Fonseca inaugurariam hoje a praça do povoado João Grande. Ocorre que chegaram apenas até o povoado Cajazeiras. A Ascom da PMH informou que fortes chuvas caíram na região e as estradas não permitiram acesso seguro. Houve apenas a solenidade de entrega do trator à Associação do Tanquinho no povoado Cajazeiras. O solenidade foi regrada para evitar aglomerações. Nem todos usavam máscaras e o trator foi entregue oficialmente à associação. O povoado João Grande sempre foi esquecido por várias administrações, mas agora pode desfrutar um pouco do desenvolvimento. Trata-se de uma comunidade que cresce muito e produz uma diversidade de culturas. A inauguração da praça hoje seria o início de uma era voltada para a prosperidade. Mas as estradas precisam urgentes de melhorias. Só com mobilidade para que o desenvolvimento possa chegar.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta