A difícil renovação na Câmara de Vereadores

Prédio do Poder Legislativo em Ribeira do Pombal (foto: pa4.com.br)

É difícil uma renovação considerável nas câmaras municipais da nossa região. Raros são os municípios em que tal renovação chega a 40 ou 50 por cento. Mesmo assim, a maior de todas as renovações está muito distante de acontecer. Os vereadores hoje são mais atores da assistência social que protagonistas da fiscalização da aplicação do dinheiro público por aqui. Os edis eleitos com o prefeito atuarão para dar suporte ao poder executivo, jamais para fiscalizá-lo. Aqueles eleitos contra a situação é que devem ficar com a carga de fiscalizar, muitas vezes sem suporte do legislativo. Como os presidentes são da maioria, normalmente ligadas ao prefeito, não há interesse do poder em colocar uma pedra no sapato do alcaide. Além do mais, há as chamadas adesões: vereadores adversários aderindo ao prefeito. Para mostrar utilidade, resta ao parlamentar municipal apresentar projetos para nomes de ruas, praças e avenidas, e/ou indicações e moções. Os vereadores acabam pavimentando o caminho dos prefeitos que usam a administração pública como trampolim para se dar bem na vida.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta