A era da violência extrema não poupa nem mesmo as crianças

Caso da menina encontrada morta em Divinópolis revela tempos sombrios

Mulher de 38 anos confessou ter estrangulado a vítima e atirado a menina do 2º andar (foto: Divulgação)

Uma menina de apenas seis anos de idade foi estrangulada e jogada do segundo andar na cidade de Divinópolis, em Minas Gerais. O fato é apenas mais um, dentre tantos, que revela o quão nossa sociedade está doente. Atingimos o grau mais elevado porque nem mesmo as nossas crianças estão imunes a este contágio revelador da nossa animalização social. É, para ser mais trágico, ou irônico, a assassina estava com uma blusa onde se lia “Só Jesus Cristo salva!”

Segundo noticiou o jornal O Estado de Minas, por volta das 17h os familiares da garota acionaram os militares informando seu desaparecimento no Bairro Lagoa dos Mandarins. Policiais e bombeiros iniciaram uma varredura pela região na tentativa de localizarem a garota. O bairro fica próximo à MG-050.

Segundo a PM, moradores de uma residência que fica perto da casa da garota ouviram, em seu quintal, um estrondo por volta de meia noite, já no início da madrugada de hoje. O corpo da criança foi encontrado, já sem vida, caído no local. A PM informou que o corpo tinha vários cortes e sinais de estrangulamento. Em uma terceira casa, que é um sobrado vizinho do lote onde a criança foi achada morta, foram encontradas as roupas da garota, além de marcas de sangue.

A moradora de 38 anos, responsável pelo sobrado, confessou o crime e foi presa em flagrante. A mulher falou sobre a motivação do crime: vingança. Disse que a vítima teria sido arremessada do segundo andar da residência. A reportagem do Estado de Minas entrou em contato com a Polícia Civil em Divinópolis, que ainda está colhendo depoimentos sobre o crime.

Então a coisa fica mais ou menos assim, qualquer coisa que nos afete será resolvido matando pessoas. Em que nível estamos? Quais as causas de tanta violência? Seria o nosso nível educacional, cada vez mais baixo? Certo é que estamos cada vez mais intolerantes. Não discutimos mais, partimos para briga, para a eliminação do outro e isso começa numa simples discussão nas redes sociais. Tempos sombrios!

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta