Almoço marca Dia do Vereador no Tempero Nordestino

Esta harmonia seria possível no ano que vem? (foto: Landisvalth Lima)

Instituído através da Lei Federal nº 7.212, de 11 de julho de 1984, o Dia do Vereador foi comemorado ontem, 1º de outubro, pela Câmara Municipal de Heliópolis com um almoço no restaurante Tempero Nordestino. Para quem ainda não sabe, o Decreto de Lei definiu o dia 1º de outubro como Dia do Vereador porque foi nesta data que o imperador do Brasil D. Pedro I oficializou as normas que definem o cargo de vereador no país. Além do presidente da casa legislativa, vereador Valdelício Dantas da Gama, compareceram ao garfo livre as vereadoras Ana Dalva e Maria da Conceição, e os vereadores Claudivan Alves, Giomar Evangelista, Ronaldo Santana e Manoel Rodrigues. Apenas dois vereadores não marcaram presença: Doriedson Oliveira, que acompanhava o cunhado em cirurgia em Salvador, e Clovis Pereira, acompanhante de tratamento de um dos seus filhos.

Sônia, Elisângela e Josicleide – guerreiras do sabor no Tempero Nordestino (foto: Landisvalth Lima)

Apesar da ausência dos dois edis, o almoço foi animado, contando com a logística assistencial de Fabinho do Bar e o tempero inconfundível de três mulheres encasteladas no lugar mais sagrado do restaurante: a cozinha. Sônia, Elisângela e Josicleide fizeram questão de pousar um instante para uma foto exclusiva no Contraprosa. Marcaram presença no encontro: Beto Fonseca, secretário de finanças, Evanilson Araújo, Abimael, funcionários, assessores e familiares dos edis. A tirada filosófica do dia ficou por conta do vereador Ronaldo Santana. Após pousarem para a foto, o edil fez uma pergunta curiosa: seria possível uma confraternização destas no ano de 2020?

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta