Belivaldo quer acabar com licença-prêmio dos servidores

Belivaldo já escolheu o responsável pelo seu fracasso: o servidor (foto: NE Notícias)

Todas as vezes que falta dinheiro, é comum os governos do nosso querido Brasil encontrar logo um lugar para cortar. Ao invés de procurar os locais onde são alojados servidores nomeados em cargos comissionados, miram suas armas da maldade para os servidores de carreira. O governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, aprendeu na velha cartilha e agora prepara um pacote de maldades para os seus queridos servidores. Segundo informação do portal NE Notícias, o governador pode acabar com a licença-prêmio para todos os funcionários públicos estatais. A proposta é substituí-la por uma tal de licença capacitação. Esta última não deixa de ser um incentivo à melhoria dos serviços do estado, mas, para evitar que todos tenham acesso aos benefícios, entulham de entraves burocráticos e muitos desistem de buscá-la. Segundo fontes governistas, o objetivo é qualificar a mão de obra. Segundo os costumes dos nossos políticos carreiristas, o objetivo é pagar cada vez menos aos servidores. Belivaldo realmente veio para fazer diferente tudo o que já fizeram antes.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta