Calma, minha gente!

Landisvalth Lima

Uma carreata ajuda politicamente uma campanha em época de pandemia? (imagem: Com a força do povo)

Começo este artigo com a notícia de que Harvey J. Alter, Michael Houghton e Charles M. Rice são os ganhadores do Prêmio Nobel 2020 em Medicina. O prêmio foi anunciado pela Academia Sueca nesta segunda-feira (5), pela descoberta do vírus da hepatite C, que causa uma inflamação do fígado, pode se tornar crônica e causar câncer, levando à morte. Os vencedores dividirão, em partes iguais, o valor de 10 milhões de coroas suecas, ou cerca de R$ 6,3 milhões. Foram três pesquisadores que procuraram uma solução para a doença, por longos 30 anos. Graças a eles, hoje a Hepatite C é 95% curável. Depois de muito tempo, foram reconhecidos. Uso este fato para dizer que é preciso ter calma. Gente, nós vamos eleger os vereadores e os prefeitos para apenas os próximos quatro anos!

As pessoas querem atropelar tudo, sem pensar. Esta é a era dos equívocos. Ninguém está pensando, mas agindo motivado pelo fígado. Uma internauta viu uma manchete de alguma postagem, rapidamente vai comentar sem ao menos ler, sem nem mesmo clicar o hiperlink. Estamos agindo por impulso e pagamos caro por isso. Este final de semana, o Contraprosa soube de confusões em vários locais por causa da realização de carreatas e passeatas. Em Cícero Dantas, o ex-prefeito Zelito Ribeiro chegou a trocar trancos com Roni, ambos abençoados pela Igreja da Nossa Senhora do Bom Conselho. Em Heliópolis, uma única carreata fez duas vítimas: um funcionário público que foi agredido e um rapaz que teve seu carro virado. Serão dois processos que enfrentará o candidato do PL, sem necessidade, de forma gratuita, causados por atos impensados.

O fato de estarmos numa passeata, ao lado dos nossos companheiros, não nos dá o direito de sairmos por aí dando socos ou impedindo que se transite pelas estradas. Afinal, se vencerem o pleito eleitoral, será um governo para todos. É assim que está na Constituição. Este imediatismo, revelado pelos que querem ganhar a qualquer custo, tem gerado inúmeros problemas. Nada se constrói da noite para o dia e, ao chegar ao governo, quatro anos é muito pouco. Precisamos somar a contribuição de cada um para, em 30 ou 40 anos, alcançarmos o progresso. Estão participando de uma eleição como se não houvesse mais amanhã. Essa coisa do querer já a qualquer custo pode gerar uma onda de danos, que vai desde uma simples perda de amizade a um assassinato gratuito. Somos seres humanos e precisamos pensar antes de agir.

Por exemplo, um grupo político está convocando uma mega carreata para o próximo domingo. Estão agindo por impulso porque o outro grupo fez uma domingo que passou. Um quer superar o outro em quantidade de gente e veículos para passar a ideia de que está mais forte que o adversário. Esse tipo de disputa política não tem sentido, principalmente em época de pandemia.  Gostaria de vê-los disputando propostas para preparar nosso município para os desafios que virão pela frente. Qual o benefício desta carreata? São duas ou três horas de gritos, buzinas, roncos de motores e…. Não tem sentido. Se pelo menos fosse numa época normal, mas a Covid-19 pode voltar com força por aqui. Além disso, quem vai controlar essa multidão? Mesmo oficializada, temos poucos policiais. Mesmo sendo recomendado o uso de máscara, quem vai controlar isso?

O desejo de Mendonça de ser prefeito a qualquer custo vai sair caro para ele, com ou sem vitória, caso continue a deixar a bomba explodir para ver o que dará depois. Thiago Andrade é bem mais jovem, inteligente, estudioso e não pode cair nesta armadilha. Ainda há tempo para adiar tal carreata. E não adianta dizer que é o povo que quer. E quem não quer? O problema é que podemos evitar um problema maior. Há outras formas de falar ao público e de mostrar os caminhos de um projeto de futuro, que começou lá bem antes. É este imediatismo que está levando a disputa em Cícero Dantas virar uma quase guerra. O desejo desregrado de vencer está fazendo com que alguns políticos denigram a reputação de colegas de campanha em Poço Verde, invadindo vidas pessoais e espalhando mentiras.

Não estou querendo interferir nas campanhas de senhor ninguém, mas promover aglomerações, mesmo carreatas, não vai resolver nada. Só vai atrasar a oportunidade única que estamos tendo para, aproveitando as pessoas em casa, debater os problemas do município e apresentar soluções. Se começarmos a fazer isso agora, teremos muito tempo pela frente para evoluirmos, sempre, um pouco a cada ano. Uma sociedade não se constrói da noite para o dia, mesmo levando em conta o conhecimento de que dispomos. Mais longe o progresso ficará se transformarmos o pleito eleitoral numa disputa insana do ganhar a qualquer custo. A democracia existe para evoluirmos, mas ela também funciona como um trem que nos levará de volta ao submundo, ignorando ciência, educação, honra, caráter, dignidade, amor ao próximo e outras coisas nobres esquecidas nas gavetas do imediatismo ególatra.   

Voltado à Hepatite C, doença ainda sem vacina, é uma inflamação do fígado. Ela mata. Os cientistas vencedores são dos Estados Unidos e do Reino Unido e demoraram 30 anos para chegarem à glória. Por que querem fazer uma eleição de 2 meses algo parecido com uma prorrogação de fim de campeonato, apenas para satisfazer o fígado? Calma, gente! Vamos eleger, dia 15 de novembro, prefeitos e vereadores para os próximos quatro anos! Precisamos continuar vivos para outros desafios, que jamais serão resolvidos por uma carreata ou por uma atitude desesperadora findada numa agressão vil, gratuita, covarde e sem sentido algum.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta