Candidato da oposição era secretário parlamentar de Fátima Nunes

O secretário parlamentar e a deputada. Troca de favores (montagem: divulgação)

Não é a primeira vez que isso acontece em Heliópolis, mas caiu como uma bomba um vídeo animado que está rolando nas redes sociais, informando que o candidato da oposição, José Mendonça Dantas (PL), estava lotado no gabinete da deputado Fátima Nunes (PT) como secretário parlamentar. O Contraprosa foi verificar e, de fato, há uma Portaria de nº 702/2017, publicada no Diário Oficial da ALBA – Assembleia Legislativa do Estado da Bahia, em 14 de fevereiro de 2017, com efeitos retroativos a 7 de fevereiro daquele ano. Nela, José Mendonça Dantas está nomeado secretário parlamentar, com salário de 4.250,00 reais atualizados. O candidato do PL só foi afastado da função, certamente para concorrer ao cargo de prefeito, no início de março deste ano, pela Portaria 9.276/2020.

Outros políticos de Heliópolis, ou seus parentes, já assumiram funções de confiança em gabinetes na Assembleia, na vice-governadoria ou até na governadoria. Estes cargos são de livre nomeação, mas são pagos com dinheiro do contribuinte e precisam de uma justificativa laboral. Mendonça, pelo que todo povo de Heliópolis sabe, desde que disputou e perdeu a eleição de 2016, vivia na sua fazenda como agricultor. Inclusive, foi a imagem de agricultor que ele fez questão de passar na campanha. Talvez tenha sido nesta nomeação que a deputada Fátima Nunes tenha garantido o seu apoio para deputada estadual, apoiada pelo grupo de Mendonça em 2018. A deputada petista teve sua maior votação no município, ultrapassando os 1.300 votos. Aos que dizem que Fátima Nunes nunca retribuiu os votos recebidos de Heliópolis, agora já há algo para rebater.

Ao todo, o candidato da oposição trabalhou 37 meses, prestando serviços à deputada na fazenda de propriedade dele, tirando leite de suas vacas. Somando-se ao 13º salário e supostas férias, os valores ultrapassam 173.000,00 reais. Resumo da ópera, José Mendonça Dantas trabalhou mais de 3 anos prestando serviços ao gabinete da deputada Fátima Nunes, sem comparecer ao trabalho, e custou ao estado uma pequena fortuna. Os políticos são muito caros ao estado brasileiro e não se sabe até quando esta festa vai continuar. O portal Contraprosa abre espaço para que a deputada Fátima Nunes e o candidato da oposição expliquem como e por que tais eventos aconteceram.  

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta