Conhecendo a arte de Edinair

São incontáveis os artistas espalhados por esta Bahia de Todos os Santos. Também são inúmeros aqueles que povoam o recôncavo baiano. Na Bahia, como dizem, baiano não nasce, estreia. E a vocação pela arte tem vários motivos. Estes quadros que embelezam esta matéria não são de Tarsila do Amaral ou Anita Malfatti. São da lavra de uma ainda desconhecida artista plástica baiana. O nome dela é Edinair Souza Cruz, que tem um atelier na localidade de fazenda Nova Suíça, próximo à BR-420, rodovia que liga Santo Amaro da Purificação a Cachoeira.

Edinair, popularmente conhecida por Dina, começou a pintar para se livrar da depressão. Encontrou o seu caminho e hoje pode dizer que é uma artista completa. Seus quadros modernos lembram cenas do seu cotidiano, seus medos, virtudes e bondades. Sua pintura remete ao estilo primitivista do Movimento Pau-Brasil, de Oswald de Andrade. O principal de tudo, é que ninguém fica indiferente ao que vê, permitindo logo, de cara, uma interação do ser com a obra, uma catarse plena, quase uma epifania clariceana. Edinair não passou por uma escola de belas artes, mas nem por isso sua pintura deixa de ser humana, pujante e viva.

Dina confessa que não é fácil fazer arte por aqui. A luta pela sobrevivência impede que ela produza sempre. Falta material básico, desde a tinta acrílica até o guache. Logo ela que aproveita de tudo. Um papelão pode virar uma tela, ou até mesmo o muro, a parede de casa ou qualquer superfície generosa que aceite imortalizar o que sua intuição criativa deseja expor. Não esqueçam este nome: Edinair, a Dina, artista plástica talentosa de Santo Amaro da Purificação, terra de Caetano e de Bethânia, terra exportadora de artista para o mundo.   

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta