Corte de verbas do Bolsa Família e 500 milhões em contratos irregulares

Duas faces cruéis de Bolsonaro: Desdém com o povo e falso combate à corrupção (imagem: Contraprosa)

Que o governo Bolsonaro trata com desdém o bem-estar das pessoas não é novidade. Quem não se lembra das declarações polêmicas feitas diante do número cada vez mais alto de mortes por Covid-19? Mas agora ficou claro a face mais cruel desta administração. Segundo informações do site O Antagonista,  o governo retirou R$ 83,9 milhões do Bolsa Família para turbinar a pasta da Comunicação. A deputada federal Flávia Arruda (PL), que preside a comissão especial do Bolsa Família, disse que a decisão é grave e precisa ser revista. A deputada tentará discutir ainda hoje o assunto com membros da comissão.

Outra face do governo Bolsonaro, que seus apoiadores insistem em enaltecer, é a relação do Mito com a honestidade. Só que o discurso não combina com a prática. O TCU – Tribunal de Contas da União – encontrou indícios de fraudes em 55 contratos do governo com empresas de tecnologia de informação, ao custo de R$ 500 milhões nos cofres públicos, informa o Estadão.

As irregularidades passam por falta de justificativa para contratações e ausência de detalhamento do serviço que seria prestado. Uma força-tarefa do TCU começou a investigação em julho do ano passado. Os contratos envolvem 11 ministérios e 17 órgãos do governo. Nem todos os contratos foram firmados na gestão de Jair Bolsonaro, mas receberam aditivos ou foram mantidos pelo governo. Dos contratos suspeitos, ao menos R$ 100 milhões ainda estavam vigentes até março deste ano.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta