Covid-19 faz 1ª morte na Bahia. Vítima fez uso de cloroquina

No aniversário de Salvador, Covid-19 faz sua primeira vítima fatal (foto: divulgação)

Depois de 127 casos comprovados de contaminação pelo novo coronavírus, a Bahia confirmou o primeiro caso de mortandade. Trata-se de um senhor de 74 anos e o falecimento ocorreu neste domingo (29), em Salvador, quando a cidade completa 471 de fundação. De acordo com a Secretaria da Saúde (Sesab), a vítima estava internada no Hospital da Bahia, em Salvador, há 12 dias em Unidade de Terapia Intensiva, e intubado. O diagnóstico positivo para novo coronavírus saiu quando a vítima já estava na unidade de saúde. Ele apresentou instabilidade hemodinâmica durante todo período de internação, tendo necessidade de diálise, por falência renal.

Para aqueles que ainda não acreditam no que os cientistas afirmam, o paciente fez uso do remédio “receitado” pela presidente da república Jair Bolsonaro. A vítima do Covid-19 fez uso de cloroquina durante cinco dias, mas acabou vindo a óbito, segundo informações colhidas pelo Bahia Notícias. O primeiro caso da doença na Bahia surgiu em 6 de março, em Feira de Santana. Até ontem, 17 horas, foram 127 contaminados. Estes números vinham crescendo em quantidade assustadora. Dia 25 eram 84, dia 26 passou a 104, dia 27 a 123 (mais um caso que não houve tempo de computar), e dia 28 (ontem), chegou a 127 casos. Ou seja, uma queda espetacular, de 20 para 3.

Para evitar que estes números reflitam apenas atrasos de divulgação de resultados, a Secretaria de Saúde da Bahia solicitou que aos diretores dos hospitais privados da Bahia informem a ‘descrição completa e detalhada dos casos suspeitos da Covid-19″. O pedido assinado pelo secretário Fábio Vilas-Boas leva em consideração o aumento no número de casos da doença no estado e a investigação dos casos suspeitos e confirmados pela Vigilância Epidemiológica da Bahia. O relatório deve ser enviado todas as manhãs com os dados clínicos e a evolução dos casos suspeitos e confirmados do novo coronavírus.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta