Covid-19: Paripiranga,1º caso; Bahia, 93 mortes, Brasil com 5 mil mortes e sem Messias!

O que muitos dizem por aí que é uma gripezinha, já contaminou 3.050.453 pessoas, uma população maior que a cidade de Salvador. A Covid-19 já matou no mundo 214.392 pessoas. O epicentro da gripezinha está nos Estados Unidos, mas o Brasil é Top 10. Hoje ultrapassamos a China em números de mortos: 5.017, sem levarmos em conta os atrasos dos testes e a mortandade em domicílio. Já há por aqui 71.886 contaminados oficialmente, mas todos dizem que o número real beira a casa dos 100 mil. Somente hoje, morreram 474 vítimas da Covid-19 no país. São Paulo lidera todas as estatísticas, mas a doença se espalha por Rio de Janeiro, Pernambuco, Ceará, Amazonas e Brasília. Perguntado o que achava dos números, o homem que falou se tratar de uma gripezinha, o Presidente da República Federativa do Brasil, disse apenas que era a vida e que, embora fosse Messias, não podia resolver absolutamente nada!

Bahia com 93 mortes

A Bahia registra 2.564 casos confirmados de Covid-19, o que representa 22,03% do total de casos notificados no estado. Considerando o número de 522 pacientes recuperados e 93 óbitos, 1.949 pessoas permanecem monitoradas pela vigilância epidemiológica e com sintomas da Covid-19, o que são chamados de casos ativos.

Os casos confirmados ocorreram em 130 municípios do estado, com maior proporção em Salvador (61,57%). Os municípios com os maiores coeficientes de incidência por 1.000.000 habitantes foram Ilhéus (1.188,96), Uruçuca (1.023,44), Coaraci (765,02), Itabuna (745,70) e Gongogi (561,17).

No momento, 275 pacientes confirmados para Covid-19 em toda a Bahia encontram-se internados, sendo 89 em UTI. O boletim epidemiológico registra 5.360 casos descartados e 11.638 notificações em toda a Bahia. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais.

A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) contabiliza 93 mortes pelo coronavírus nos seguintes municípios: Adustina (1); Água Fria (1); Araci (1); Belmonte (1); Camaçari (1); Capim Grosso (1); Catu (1), sendo que a paciente foi contaminada na capital baiana; Feira de Santana (1); Gongogi (2); Ilhéus (4); Ipiaú (1); Itabuna (3); Itagibá (1); Itapé (1); Itapetinga (2); Juazeiro (1); Lauro de Freitas (5), um dos óbitos era residente no Rio de Janeiro; Nilo Peçanha (1); Salvador (56); Uruçuca (4); Utinga (1); Vitória da Conquista (3). Estes números contabilizam todos os registros de janeiro até às 17h horas desta terça-feira (28).

Além disso, na região nordeste da Bahia, o município de Paripiranga entra nas estatísticas e é o 131º município baiano a ter contaminado por coronavírus. O caso não está registrado ainda nas estatísticas da Secretaria Estadual de Saúde da Bahia porque o paciente estava hospitalizado na cidade de Lagarto, em Sergipe. O prefeito de Paripiranga, Justino Neto, tinha dado a notícia de um caso suspeito como negativo ao meio-dia desta terça-feira (28) e, pela tarde, veio a notícia do caso positivo.

Sergipe com 11 mortos

Na tarde desta terça-feira, 28, a Secretaria Municipal de Saúde da cidade de Itabaiana, no Estado de Sergipe, através da Vigilância Epidemiológica, registrou mais dois casos positivos para o Covid-19. Agora já conta o município com 12 casos confirmados. Em todo o estado são 280 contaminados. Aracaju tem 189 casos, Estância – 19, Itabaiana – 12, N. Sra. do Socorro – 10, Itabaianinha – 08, São Cristóvão – 06, Barra dos Coqueiros e Simão Dias com 05 casos cada, N. Sra. da Glória e Itaporanga D’Ajuda com 03 contaminados cada uma, Lagarto, Propriá, Pacatuba, Porto da Folha e Indiaroba com 02 casos em cada município e 1 caso em Capela, Canindé de São Francisco, Ribeirópolis, Rosário do Catete, Tomar do Geru, Maruim, Cristinápolis, Japoatã, Umbaúba e Aquidabã. Foram negativados da doença um total de 1.803 pacientes, com 45 altas médicas. Até aqui registraram ao todo 11 óbitos: 7 em Aracaju e os outros em Simão Dias, Itabaianinha, Rosário do Catete e Itaporanga D’Ájuda.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta