Dona Vanda – Evanilde Ribeiro de Souza Fontes

Dona Vanda foi a principal líder da política de Heliópolis até o presente (foto: Landisvalth Lima)

Vice-prefeita de Heliópolis por duas vezes na administração Aroaldo Barbosa, Evanilde Ribeiro de Souza, conhecida por Dona Vanda, nasceu em 19 de agosto de 1940, em Cícero Dantas – Ba. Era filha do maior lutador pela emancipação política de Heliópolis, José Dantas de Souza, o Nozinho, que foi prefeito de Ribeira do Amparo, município mãe de Heliópolis, e Isabel Ribeiro de Sousa. Dona Vanda disputou a prefeitura municipal por duas oportunidades e não conseguiu seu intento de administrar o município que seu pai emancipou. Elegeu-se vice-prefeita por duas vezes, em 1996 e 2000. Em seguida abandonou a política como disputa, mas nunca rompeu com ela definitivamente. Numa quinta-feira, 28 de janeiro de 2016, dois dias após a visita do governador Rui Costa a Heliópolis, Dona Vanda passou mal, foi atendida no posto médico da cidade e levada às pressas para Ribeira do Pombal, Hospital Santa Tereza. Lá não resistiu a um ataque cardíaco e veio a falecer por volta das 21 horas. Ela era viúva de Antônio Fontes, ou Tonho de Vanda, e deixou quatro filhos: Isabel Fontes, Marcos Fontes, Ivan Fontes e José Dantas.  

O velório de Dona Vanda foi uma longa e merecida homenagem. Heliópolis se despediu da mulher que mais influenciou, de forma honrosa, o comportamento político e social do município. Evanilde Ribeiro de Souza Fontes herdou de José Dantas de Souza o apego à política, sem nunca ter deixado de ser mãe, avó e bisavó. Tinha 75 anos e um desejo infinito de ser protagonista, sem mostrar vaidade por isso. Numa terra de patriarcas, ela nunca quis ser matriarca, mas, por circunstância da vida, foi sem nunca ter querido ser. Elegante, sempre otimista, nunca guardava ódio. Quando alçada ao cargo de vice-prefeita, foi preterida pelo grupo para a cabeça de chapa, um pouco por ser mulher, outro tanto por saber que todos estavam no caminho errado. O tempo deu razão a Dona Vanda. Uma multidão compareceu ao velório e ao sepultamento e hoje seu nome está cravado no Plenário da Câmara Municipal de Heliópolis.  

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta