É Gordo de Dadá ou nada

Gordo de Dadá passa a ser a única alternativa viável e elegível para a oposição de Ribeira do Pombal. (foto: Divulgação)

O blog do radialista Joilson Costa noticiou que a ação do Partido Trabalhista Cristão (PTC) movida contra Gordo de Dadá, que havia decretado a inelegibilidade do filho do ex-prefeito, sofreu um revertério. O Gordo conseguiu provar que não houve captação ilícita de votos em 2012 e ainda se livrou da multa de 10 mil reais. O político pombalense recorreu da sentença proferida e, na terça-feira, 28 de julho 2020, o TRE decidiu por unanimidade para reformar a sentença, deixando Gordo de Dadá elegivelzinho da silva para as eleições de 15 de novembro. Agora não há mais saída. Só resta aos opositores de Ricardo Maia apostar no Gordo, a não ser que queiram teimar na insistência do nome de Zé Grilo. Este último precisa mover umas duzentas montanhas para conseguir passar elegível como candidato este ano. Mas ainda haverá outra dor de cabeça: escolher um vice com capilaridade para engordar a cesta de votos da oposição. Enquanto isso, no palácio do governo, tudo está azul. Eriksson Silva e Nathan Brito caminham, até aqui, numa estrada sem buracos ou barreiras intransponíveis.

 

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta