Enxugando gelo!

                                                            José Socorro*

José Socorro equipado para mais um dia de trabalho (foto: Facebook do autor)

Está explícito o quanto os números de novos infectados vêm aumentando no mundo e em especial no território brasileiro. Ontem (22 de julho) batemos um novo recorde. Foram mais de 65 mil contaminados em 24 horas. No que se refere aos óbitos diário, os especialistas afirmam que estamos no platô, no entanto com um grande número de mortes por dia.

Alguns estados estão melhorando seus índices, mas nem de perto podemos baixar a guarda ou deveríamos agir assim. Porém, não é o que visualizamos no Brasil, na Bahia e no estado de Sergipe. Todas as informações voltadas para a população em geral está sendo vista com escárnio por uma boa porcentagem do nosso povo.

E as consequências estão aí: a maioria dos estados impossibilitados de oferecer leitos de UTI aos necessitados, e muitos estão morrendo em seus domicílios ou nas unidades de suporte de baixa complexidade. Mesmo assim, ainda não estão levando a sério o quadro atual e, se não mudarem as condutas, vamos ter de fato uma contaminação por rebanho.

A população não precisa mais saber das informações básicas, pois isso já foi feito e ainda continua ao extremo. O que se precisa são de medidas mais duras dos governos das três esferas, em parceria com os parlamentares. Em um país onde a civilidade fica em segundo plano, e a educação social pouco importa, só resta usar o poder da segurança pública para que assim melhore essa situação.

Apelar para o bom senso da população é perda de tempo. Gastar dinheiro com propaganda e informações sobre a Covid-19 já não surte o efeito desejado. Teremos um grande livro da vida real, com capítulos tristes onde nós somos os próprios autores e personagens.

Enquanto isso, nós, que estamos inseridos na prática nessa luta árdua e angustiante, temos que trabalhar com estes uniformes e mais alguns itens do EPI, para que, ao fim de cada plantão, saiamos bem e protegidos tão quanto os nossos familiares. Que Deus nos proteja, que a população reflita sobre tudo isso e entenda que ainda poderemos ter o domínio da situação.

                    *José Socorro é colaborador do portal Contraprosa e servidor da saúde do município de Poço Verde, Sergipe.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta