Ex-aluno do CEJDS é assassinado em Areia Branca

Felipe Batista, o Jacaré, mais um jovem assassinado e tragado pelo tráfico. (foto: Divulgação)

Um corpo foi encontrado na manhã da terça-feira, 8 de setembro, em uma estrada vicinal, no povoado Baixa Fria, no município de Areia Branca. Ao chegar ao local, a polícia constatou que foram disparados diversos tiros na cabeça da vítima. Encontraram documentos com o corpo e descobriram o nome: Felipe Batista dos Santos, natural da cidade de Antas – Bahia. O corpo foi para a geladeira e começou a trabalho da tentativa de localizar pistas para descobrir o motivo do assassinato e o local de moradia dos parentes da vítima.

Felipe Batista dos Santos viveu em Heliópolis e estudou no Colégio Estadual José Dantas de Souza. Estava envolvido com drogas pesadas e parecia não se preocupar com isso, pois até deixava pistas do uso no banheiro da escola. O pai chegou a ser chamado porque Felipe pulava o muro da escola para não assistir às aulas. Era conhecido pelo apelido de Jacaré e nasceu em 25 de abril de 2001. A família tentou guiá-lo para o bom caminho. Foi levado para Aracaju para frequentar Escola Militar. Seu último endereço foi o bairro Cidade Nova, na capital sergipana.

Ele chegou ainda a ter problemas na cidade de Canindé do São Francisco. Lá foi detido e, mais uma vez, o pai foi ao seu socorro. Desta vez, já em Areia Branca, não deu tempo. Felipe foi alvejado na cabeça em uma casa do povoado Baixa Fria, onde segundo a vizinhança, Jacaré estava morando. É bem provável que ele já estivesse fugindo de algo. Somente nesta sexta-feira (25) Felipe Batista foi sepultado em Heliópolis, por volta das 16 horas. É mais um jovem de 19 anos cooptado pelo tráfico de drogas. E o problema cresce, e toma conta da sociedade e nós parecemos inertes. Sim, é um estorvo enorme que nem a família, nem a escola, nem a religião e nem o estado estão conseguindo resolver.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta