Ficará mais barato matar no Brasil!

Ao facilitar o acesso a armamentos, Bolsonaro vende a falsa ideia da paz armada. (foto: Tecnodefesa)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou orgulhosamente nesta quarta-feira (9) que a Câmara de Comercio Exterior, subordinada ao Ministério da Economia, editou resolução que zera imposto de importação cobrado sobre armas de fogo, tipo revólveres e pistolas. A informação foi publicada pelo presidente em suas redes sociais. A medida entrará em vigor a partir de janeiro. A flexibilização do porte e da posse de armas é uma promessa de campanha eleitoral de Bolsonaro, que já adotou uma série de medidas para viabilizá-la. Talvez, sem desejar ou perceber, o Presidente da República está tornando o ato de matar bem mais barato.

Sabendo da repercussão negativa, em mensagem nas redes sociais, o presidente ainda lembrou que a Camex zerou nos últimos meses impostos para a importação de 509 produtos, entre eles arroz, soja, milho e produtos médicos relacionados ao combate ao coronavírus e ao câncer. Está clara a mensagem: neste país não se pode morrer de fome ou de comorbidades, mas na bala é diferente! Bolsonaro ressaltou que novas isenções estão em estudo pelo governo federal. “O Brasil unido, com a ajuda de todos os responsáveis, podemos ir longe”, escreveu. Quem não gostou da medida foi a maior fabricante de revólveres e pistolas na Brasil: a Taurus. Ela disse que isso impedirá que a matriz americana invista no Brasil e muitos empregos serão extintos. Se não há imposto de importação, precisa ter fábricas por aqui? A medida desemprega e mata!

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta