Lava Jato recupera 1 bilhão do doleiro Dário Messer

Dário Messer, o doleiro dos doleiros. (foto: IstoÉ)

É de assombrar o potencial econômico do Brasil. O que os 210 milhões de brasileiros produzem de riqueza é inimaginável. O tamanho é tão grande que aqui virou paraíso de ladrões. É corrupção para tudo quanto é canto. Há quem diga que temos um país paralelo só para viver de corrupção, contrabando, tráfico, desvios de toda ordem, que. Este país paralelo é a causa dos males que afetam nosso desenvolvimento social, econômico e político. Só para não pensarem que o que afirmamos é apenas uma opinião, o portal O Antagonista revela que o acordo de delação premiada do doleiro Dario Messer com a Lava Jato foi fechado com o denunciado se comprometendo a devolver ao Brasil, e também parte ao Paraguay, um patrimônio estimado em R$ 1 bilhão.

Quando alguém se compromete a devolver isso é porque tem muito mais. Apesar da Operação Lava Jato ter experiência profunda na investigação, sempre escapa algo. Tanto é verdade que o Dário Messer aceitou de bom grado, sem questionar, R$ 60 milhões de uma conta nas Bahamas; R$ 3 milhões em um banco no Brasil; R$ 2,5 milhões depositados no Paraguai; a participação em uma cobertura na avenida Delfim Moreira, no Leblon, avaliada em R$ 40 milhões; R$ 60 milhões em contas de empresas imobiliárias; R$ 23,8 milhões em imóveis das mesmas companhias; vários imóveis, automóveis, animais e máquinas das fazendas em nome da empresa Chai, a maioria localizada no Paraguai, estimados em US$ 120 milhões (mais de R$ 600 milhões); outros imóveis, automóveis, animais e máquinas das fazendas em nome da empresa Matrix, também no Paraguai, estimados em US$ 30 milhões de dólares (mais de R$ 150 milhões); US$ 6 milhões (ou R$ 30 milhões) da Fazenda Tournon, também no Paraguai; US$ 2 milhões de dólares (R$ 10 milhões) de um apartamento em Nova York registrado no nome de uma offshore; 14 obras de arte de valor ainda inestimado, sendo quatro de Di Cavalcanti, cinco de Eugênio de Proença Sigaud e cinco de Lia Mittarakis.

É por isso que muitos querem o fim da Lava Jato. Há outros ladrões encastelados nos três poderes e morrem de medo destas investigações.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta