Martha Rocha – Maria Martha Hacker Rocha

Martha Rocha – 1ª Miss Brasil – 1936-2020 (fotos: You Tube/O Globo)

Morreu no sábado, 4 de julho, Martha Rocha, “o violão baiano” que mostrou aos americanos que a Bahia já tem vez. Ela morava em Niterói, no Rio de Janeiro. Martha Rocha foi a primeira Miss Brasil, em 1954. A causa da morte foi um enfarto no miocárdio com parada respiratória. Após se sentir mal, a miss Brasil foi socorrida e levada ao hospital, sem êxito. O nome completo é Maria Martha Hacker Rocha, nascida em Salvador – Bahia, em 19 de setembro de 1936, a sétima filha do casal Álvaro Rocha e Hansa Hacker Rocha. Ao todo, seus pais tiveram 11 filhos. Aos 18 anos, participou do Miss Bahia, vencendo o concurso. Em 26 de junho de 1954, foi eleita Miss Brasil, no Hotel Quitandinha, em Petrópolis, no Rio de Janeiro.

Em julho de 1954, logo depois de chegar aos Estados Unidos, tornou-se a favorita nas casas de apostas para vencer o Miss Universo. No entanto, Martha ficou em 2º lugar, perdendo para a americana Miriam Stevenson. Dizem que ela perdeu por causa de 2 polegadas a mais nos quadris. Perdeu por ter beleza demais. Sua derrota acabou por promovê-la em todo o país. Músicas, vídeos, reportagens, filmes, documentários e tantas outras formas de comunicação tinham a miss como tema central.

Mas sua vida ultimamente não era um mar de rosas. O sergipano Ancelmo Gois publicou em O Globo que, desde 1995, Martha Rocha dizia viver na miséria, quando a Casa Piano, de seu ex-cunhado, Jorge Piano, faliu. Quando tinha 79 anos, ela entrou com uma ação de pensão alimentícia na 3ª Vara da Família de Niterói, no Rio de Janeiro, contra a filha, a artista plástica Cláudia Xavier de Lima, de 53 anos, fruto do relacionamento da miss com o empresário Ronaldo Xavier de Lima, seu segundo marido. Martha ficou viúva do primeiro marido aos 23 anos, o banqueiro argentino Álvaro Piano, morto num acidente de avião. Com ele, teve dois filhos: Álvaro, hoje com 50 anos, e Carlos Alberto, 49. O cunhado, Jorge Piano, foi acusado de dar golpes em muitas pessoas no Rio de Janeiro e parte do sofrimento financeiro de Martha vem daí.

Jorge fugiu para o exterior com o dinheiro da musa, de outras figuras-símbolo da elite carioca típica e de mais 700 investidores. Martha preferiu nunca revelar quanto perdeu. Para tentar sanar as dificuldades financeiras, ela vendeu seu apartamento de quatro quartos na Lagoa Rodrigo de Freitas. Suspirou por uns tempos, mas o capitalismo é cruel. Martha chegou a anunciar, no início de 2019, que estava morando numa casa para idosos e admitiu que era por questões financeiras. Na época morava em Volta Redonda.

O Brasil nunca emplacou uma miss mundo, mas Martha Rocha é, até hoje, uma das misses do Brasil mais marcantes da história do concurso. Quem viveu o momento não entendeu como uma obra de arte humana como ela tenha perdido aquele concurso. Muitos chegaram a dizer que a natureza jamais criaria mulher tão bonita. Talvez tenham sido exatamente as duas polegadas a mais o seu real diferencial. Martha Rocha tinha 83 anos.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta