N. Sra. de Fátima será o único colégio estadual. CELEM será extinto

19 anos depois, o CELEM será extinto (foto: Facebook)

O Colégio Estadual Nossa Senhora de Fátima, que já oferece ensino integral, passará a ser a única escola de Ensino Médio do Estado da Bahia no município de Fátima. A SEC já anunciou a extinção do Colégio Estadual Luís Eduardo Magalhães – CELEM – e só resta agora fazer o processo de transição, o que não será fácil. Em conversa com o professor Cidney Andrade Nascimento, diretor atual do Celem, disse ao Contraprosa que esperava o fim do Nossa Senhora de Fátima, mas que aceita a decisão e espera que haja um diálogo mais detalhado com a comunidade escolar, inclusive para as questões ligadas ao processo de transição.

Prof. Cidney: “Com diálogo, transição será tranquila.” (foto: Facebook pessoal)

A tomada de atitude pela SEC tem a ver com a implantação do ensino integral no Colégio Nossa Senhora de Fátima. Muitos alunos estavam pedindo transferência para o Celem, com o objetivo de não ficar o dia todo na escola. Longe de ser por não gostar de estudar, os estudantes, em sua maioria da zona rural, estão penando com a questão do transporte escolar, que é fornecido pela Prefeitura Municipal de Fátima. O professor Cidney aponta a questão do deslocamento do aluno no turno matutino como um entrave para o regime integral.

Fundado em 5 de dezembro do ano 2000, o Colégio Luís Eduardo Magalhães tem uma estrutura bem melhor para funcionamento do ensino médio, mas não tem como trabalhar com todas as turmas do regime integral. Técnicos da SEC indicam que a administração deve ficar no prédio do Celem de hoje e o prédio do Nossa Senhora de Fátima ficará como anexo. A nova unidade escolar terá um diretor, dois vices, e 1 ou 2 coordenações pedagógicas. Diretores e vices serão eleitos no início do ano que vem. Até lá, a palavra será reorganização.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta