NTEs de Pombal e Paulo Afonso reúnem diretores e coordenadores

Diretores dos NTEs de Ribeira do Pombal e Paulo Afonso reunidos no CEMPA (foto: Landisvalth Lima)

Até sexta-feira (9), cerca de 2,5 mil profissionais da educação da rede estadual, entre coordenadores pedagógicos e gestores escolares, terão participado do segundo encontro de Formação Continuada. A atividade é promovida pelo Instituto Anísio Teixeira (IAT), órgão da Secretaria da Educação do Estado, e alcança educadores e gestores dos 27 Territórios de Identidade.

Para poder contemplar os profissionais da educação de todos os Territórios, o IAT organizou a Formação Continuada a partir de 12 Polos Formativos (Salvador, Feira de Santana, Vitória da Conquista, Paulo Afonso, Caetité, Santo Antônio de Jesus, Itabuna, Itaberaba, Jacobina, Juazeiro, Barreiras, Seabra). Na segunda (5) e terça-feira (6), estiveram reunidos os educadores e gestores dos Polos de Salvador, Feira de Santana, Vitória da Conquista e Paulo Afonso. Neste último estavam presentes os diretores e coordenadores do NTE 17, de Ribeira do Pombal. O evento foi no CEMPA – Centro de Ensino Municipal de Paulo Afonso.

Segundo a diretora pedagógica do IAT, Diana Melo, a Formação Continuada tem como pilares o currículo, a avaliação e a prática pedagógica. “No primeiro encontro, trouxemos as funções, rotinas e práticas inseridas na atuação dos diretores e coordenadores, com foco na gestão das aprendizagens. Hoje iniciamos as temáticas do currículo e avaliação como indutores do planejamento para as escolas”, explicou. 

Para a diretora do Colégio Estadual Aristides de Souza Oliveira, em Salvador, Tania Pita, “os temas são importantes e eu saio daqui com muito aprendizado. Ouvimos as experiências de outras escolas e assim a gente identifica o que a gente tem deixado para trás, o que não está acontecendo como deveria na escola para poder melhor”. 

Já a coordenadora Pedagógica do Colégio Estadual Alberto Valença, também de Salvador, Graciane Guimarães, destacou que “este encontro está bem focado no fazer pedagógico do coordenador e a gente consegue pensar algumas questões mais direcionadas para a nossa realidade.Ter esse momento formativo organizado nos dá subsídios para estarmos na escola de forma mais proativa. Nós discutimos o plano de intervenção que fizemos durante a Jornada Pedagógica e agora sabemos quais caminhos devemos seguir para melhorar, não os indicadores, mas o processo de ensino aprendizagem também”. 

Fonte; Ascom-SEC

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta