O Barracão de Iggor Oliveira

Iggor Oliveira e Barracão: bem distantes do sol renovador (foto: CNNPV)

Os áudios que vazaram nas redes sociais, e que foram publicados no A Hora da Notícia PV, remetem a um flagelo que está longe de acabar no processo eleitoral da nossa região: a política como negócio. Muito mais que abrir um fosso entre o atual prefeito de Poço Verde, Iggor Oliveira, e o seu vice, Roberto Barracão, os diálogos são verdadeira leitura do nível dos nossos representantes que, pode até não ser chulo, mas denotam cemitério de qualquer possibilidade de um dia ser, nossos representantes de plantão no executivo poçoverdense, símbolos do estadismo.

É fácil, logo de cara, ficar do lado do vice-prefeito. Parece, inicialmente, ser a vítima de toda a história. Não precisa também ninguém dizer que ali está desenhado um calote dado do prefeito Iggor Oliveira, até que se prove o contrário. O calotado deixa bem claro que alugou carro, avalizado por Roberto Barracão, mas o débito seria sanado pelo prefeito. Como Iggor não pagou o compromisso, a zoada foi parar na Internet e configurou-se mais um ser como caloteiro.

Mas longe aqui estamos de dizer quem está certo ou quem está errado. A princípio, todos estão cometendo, no mínimo, crime eleitoral. Duvidamos que tenha o senhor Iggor Oliveira contabilizado tais despesas na sua prestação de contas. O que queremos aqui é questionar o fato de ter o senhor Roberto Barracão brigado com o prefeito não porque estivesse fazendo uma administração sofrível, ou porque não está pagando os funcionários em dia, ou que não esteja cumprindo promessas de campanha.

Não se trata, pois, de uma briga por princípios, mas por valores monetários. Se não nos enganamos, em certo momento do áudio, ouvimos a menção de estar o vice-prefeito em São Paulo, há três meses, trabalhando! Afastado por três meses do município? Isso deveria ter sido denunciado pelo Ministério Público. Ele é agente público eleito e não poderia se afastar assim. Em alguns casos, só com autorização da Câmara Municipal. E mesmo que não seja o caso, ele precisa justificar o salário que recebe. Está tudo errado!

Se Roberto Barracão está pensando ser uma alternativa do grupo a Iggor Oliveira, precisa mudar seu comportamento significativamente. Está fazendo o mesmo que o prefeito. Não basta dizer que é diferente, tem que ser e parecer diferente. O mundo está mudando. O Brasil está mudando. Por mais que esperneiem os radicais da suposta esquerda e da falsa direita, não cabem mais comportamentos de farsantes na nossa política. Poço Verde quer o novo. Pode até demorar, mas o povo quer o novo.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta