Poço Verde poderá ter 4 candidatos a prefeito

     O portal Contraprosa colheu informações a respeito de como anda a política no município de Poço Verde. Até o fechamento desta postagem, o quadro revela quatro candidatos a prefeito. Claro que é possível uma mudança repentina na situação, mas o que se sabe foi confirmado por mais de uma fonte. Vejamos:

Candidatura 1 – Edna de Toinho de Dorinha – Partido: PSB – 40

Edna Dória – PSB

Edna Dória tem, até aqui, a liderança das pesquisas e sabe que ainda não garantiu a cadeira de prefeita. Para tanto, o marido corre a busca de um vice à moda antiga. Ou seja, alguém forte financeiramente. O nome mais cotado é o do empresário Adauto. Toinho aposta nos velhos métodos, mesmo que não lhe tragam boas recordações. Traduzindo, Adauto pode não trazer os votos que garantam já a vitória, mas os meios para tanto. Pessoas do grupo apostavam no professor Lourinaldo para vice, mas nem mesmo o convite foi feito e nem Lourinaldo deu demonstrações de desejar a empreitada. O grupo conta hoje com 5 vereadores na Câmara Municipal de Poço Verde: Alexandre (Presidente), Edson Didiu, Pedro, Délia e Raimundinho, todos eles com plenas possibilidades de reeleição e com força para conseguir mais uma ou duas cadeiras.

Candidatura 2 – Roberto Barracão – Partido: PSC – 20

Roberto Barracão – PSC

O atual vice-prefeito de Iggor Oliveira rompeu com o grupo no segundo ano da administração. Nos últimos meses tentaram uma reaproximação. O prefeito até chegou a dizer que tudo estava bem, mas foi só desejo e ilusão. Barracão vai sair candidato, até aqui, e promete fazer zoada. Falam que sua vice será do PT: Aires Nascimento, secretária de mulheres do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Poço Verde. A candidatura de Barracão não chega a representar uma mudança no cenário político de Poço Verde, como seria a do professor Lourinaldo, mas vai dividir o voto daqueles que gostariam de fugir da dicotomia Oliveira/Dória. Na Câmara Municipal, o vice-prefeito conta com dois vereadores: Léo de Fonsinho e Gilton Rosário, ambos com amplas possibilidades de reeleição. Analistas dizem que o espaço deste agrupamento na câmara chegará para, no máximo, três cadeiras. E quem seria este terceiro nome? Falam de uma mulher que pode, inclusive, ser a mais votada. Contraprosa vai pesquisar.

Candidatura 3 – Lourinaldo Lisboa – Partido: Cidadania – 23

Professor Lourinaldo – Cidadania

O professor Lourinaldo foi vítima da ausência de votos para cobrir o quociente eleitoral na eleição passada. Foi um dos mais votados para vereador, mas sua coligação teve desempenho pífio. Ficou de fora da Câmara. Agora vai encarar candidatura para prefeito e pode surpreender. Chegaram a falar na professora Ina Valéria como vice, mas não se confirmou. Ina está hoje em paz com sua irmã Edna Dória e vai coordenar a campanha da mana. O vice de Lourinaldo será Dirrinho do povoado São José. O grupo terá apoio do senador Alessando Vieira e não conta com nenhum vereador na Câmara Municipal. Com a candidatura de Barracão, Lourinaldo pode perder espaço no campo dos adeptos de um novo grupo. Muitos dos seus seguidores dizem que falta a ele demonstrar ao eleitorado que veio para transformar, que não é apenas uma pessoa amável, querida e acolhedora. Precisa Lourinaldo demonstrar aos seus eleitores que ele está pronto para os desafios e que é capaz de dar murro na mesa quando necessário. Na chapa de prováveis candidatos a vereador desponta uma das filhas de Dirrinho, com votação expressiva no povoado São José.

Candidatura 4 – Iggor Oliveira – Partido: PSD – 55

Prefeito Iggor Oliveira – PSD

Apesar de fazer parte de um grupo forte, o prefeito Iggor Oliveira foi uma espécie de balde de água fria no seu eleitorado. Esperavam que, por ser jovem, daria uma nova feição à política do município. Foi apenas o de sempre, se não pior. Sua administração é uma soma de equívocos e confia na força do grupo para se reerguer. Com a saída de Barracão, ficou seu nome seriamente abalado. Conta hoje com dois vereadores a menos, exatamente por conta dos seus equívocos. Entretanto, é o prefeito. E não são poucos os nomes que se reelegeram, mesmo estando com a popularidade baixa, principalmente quando há tantos candidatos. Tudo isso porque ainda não temos um jogo político sério. A prefeitura recebeu muito dinheiro e Iggor Oliveira deve usá-lo para fins pouco republicanos, porque é isso que fazem neste sertão de Nosso Senhor, nas barbas da Justiça Eleitoral e sob as bênçãos daqueles que fazem política por dinheiro e poder. Na Câmara Municipal Iggor Oliveira ainda conta com Damares, Gileno, Dii de Nilo e Amauri, todos vereadores com reeleição bem definida. A grande pergunta é: Quem será o vice de Iggor Oliveira? Ninguém, até aqui, arriscou colocar o nome na mesa.  

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta