Políticos baianos usam aeroporto clandestino em Brasilia

No aeroporto clandestino não há nenhum tipo de fiscalização (foto: Correio Braziliense)

A revista Crusoé publicou reportagem nesta sexta-feira (27) que vai dar muito pano para manga. Trata-se de um aeroporto clandestino usado por muitos políticos, localizado na cidade satélite de São Sebastião, distante cerca de 35 quilômetros do Congresso Nacional. O Aeródromo Botelho é clandestino e nasceu de uma fazenda. As terras pertencem ao governo distrital de Brasília e foram invadidas para construção de um campo de pousa para aviões agrícolas. Com a vasta procura de empresários e políticos, fugindo dos holofotes e das altas taxas do aeroporto de Brasília, os proprietários resolveram vender lotes para construção de hangares. Hoje são, ao todo, 119, que guardam aeronaves de até 20 milhões. Enquanto a briga pelo terreno estava na justiça, até mesmo o governador de Brasília, Ibaneis Rocha, pousava o seu jatinho por lá.

O repórter Renato Alves, da Crusoé, registra que Jaques Wagner, Ângelo Coronel e Otto Alencar, senadores do Estado da Bahia, também pousaram no campo clandestino. A aeronave utilizada pelos baianos pertence Jet Gold – Locações & Serviços Aéreos S.A. Segundo a Folha de S. Paulo, a companhia pertence ao Grupo Corel, conglomerado que tem como acionista único a Jet International Trading, offshore sediada no Panamá e que tem o próprio Ângelo Coronel como diretor-presidente. Um jatinho desta empresa foi contratado pelo governador Rui Costa, ano passado, pela bagatela de 217,5 mil reais, segundo informou o Bahia Notícias. Curioso é que, além dos senadores, também pegou carona no jatinho o líder do DEM, deputado Elmar Nascimento. A lista de políticos que usam o aeroporto clandestino é generosa. Entre Eles, além dos citados, estão Aécio Neves, Fernando Bezerra, Edison Lobão, Gilberto Kassab e a família Vieira Lima, quando em visita a Geddel na Papuda.

Como o local serve muito bem aos interesses dos políticos, já encontraram uma solução: o empreendimento será um novo aeroporto em parceria com a iniciativa privada, e os projetos estão prontos e em análise. O governador Ibaneis Rocha disse que haverá uma PPP – Parceria Público Privada. O novo aeroporto executivo, segundo o Correio Braziliense, já tem oito empresas e consórcios interessados no negócio. Enquanto a questão não se resolve, os políticos podem abusar do uso do aeródromo porque não há nenhuma fiscalização. Tudo feito à margem do Estado e das Leis, sendo apenas observado pelas lentes independentes de alguns órgãos de imprensa deste país.   

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta