Poucas & Boas 2019.16

45 milhões e 5 anos de prisão

Léo Pinheiro ficará 5 anos preso e 45 milhões mais pobre (foto: G1)

Vejam o retrato cruel de um país que ainda não entendeu o que verdadeiramente é. Enquanto no STF tem ministro que quer anular o processo do triplex, rasgando a Constituição e a lógica, a fim de permitir a candidatura de Lula, Léo Pinheiro, da OAS, fez um acordo com a PGR. O empresário se comprometeu a pagar 45 milhões de reais aos cofres públicos e a permanecer mais cinco anos em regime domiciliar. O acordo nos diz não só que a corrupção no governo Lula era desenfreada, como mostra o rombo que deixaram neste país. Na outra ponta, há autoridades tentando convencer pessoas de que tudo não passou de perseguição.

Dudu é louco?

Eduardo Bolsonaro é destes políticos que acha que todo mundo no Brasil é besta. Esta história dele de dizer que pode voltar o AI-5 é pra despistar. Observem que toda vez que se aproximam do Queiroz, quando a investigação chega perto dele, há uma declaração absurda de um dos filhos de Bolsonaro para desviar o foco da imprensa. Esta manha já está cansada, mas ainda funciona. Perdem tempo aqueles que ficam pedindo cassação do mandato, quando foram os próprios deputados que aprovaram o privilégio de todo deputado estar protegido daquilo que fala. Lembrem que um deputado chamou um ministro de ladrão e nada aconteceu. Mas a tática ainda funciona e o país está em polvorosa. Dudu não tem nada de louco.

A 3ª força de Poço Verde

Ainda não vimos sinais do surgimento de um terceiro grupo político em Poço Verde. Saiu aí uma história de um grupo liderado por Dr. Milton como alternativa para a eleição de 2020, mas até aqui não consegui encontrar pistas. Que há um desejo do surgimento do grupo, isso não é novidade, mas seria com nomes novos, com pessoas que ainda não foram testadas politicamente. Esse não é o caso de Dr. Milton. Está parecendo mais a formação de pessoas descontentes com os rumos tomados por algum grupo político tradicional de Poço Verde. Se a coisa está acontecendo, é na surdina. Vamos aguardar.

Difusão da mentira

Muitos políticos ligados ao grupo do candidato José Mendonça gostam de usar estratégias grotescas para tentar minar a candidatura dos adversários. No início, lotavam o Bar de Fabinho dizendo que se fosse Fabinho o candidato de Ildinho votaria no grupo. Sabiam que o provável candidato não estava bem nas pesquisas. Agora, após a consolidação da candidatura de Thiago Andrade, vivem a dizer, gritar, apostar, e até atestar que tiveram a confirmação do Nosso Senhor Deus, que Beto Fonseca não vai apoiar Thiago de jeito algum, que não vai entregar de mão beijada o que construiu em oito anos. Chegam até a dizer que haverá um terceiro candidato a prefeito em Heliópolis, saído, claro, do grupo do prefeito. As falsas notícias refletem apenas desejos.

Os fatos estão postos

Depois da pesquisa Controverso, já é possível estabelecer um cenário. A não ser que a oposição queira mudar o jogo, indicando um candidato novo, diferente, para surpreender e levantar o moral dos seguidores, as cartas estão postas na mesa. O prefeito Ildinho, mesmo bem avaliado pela população, caso queira que o grupo tenha chances reais de continuar no poder, precisa decidir pela candidatura de Thiago Andrade. Falta apenas escolher um vice. Do lado da oposição, até aqui, o melhor nome é o do ex-vereador Mendonça. Além disso, terá que engolir um enorme sapo: Zé do Sertão na vice. O jogo está claro e não se vê possibilidade de mudança. É isso.

Trágico e cômico!

A política em Heliópolis está prestes a produzir retratos inimagináveis. Ver num palanque, lado a lado, José Mendonça e Zé do Sertão, que num passado não tão longe rolou até revolver na cabeça de alguém. Mas um leitor assíduo deste Poucas & Boas nos lembrou de um episódio envolvendo Zé do Sertão e Zé de Miguel, da Fazenda União, e irmão de Ildinho. Não precisa aqui registrar o que houve. Todo mundo sabe. Será que o irmão de Ildinho vai ter a coragem de tirar uma foto com o desafeto, e ainda votar nele para vice?

Não antecipem resultados!

O grande inimigo de um candidato favorito é o clima de já ganhou. Binho de Alfredo, do PT de Fátima, tem que contornar esse clima. Com o massacre promovido por Sorria contra os servidores públicos, muitos já dão como certa a eleição de Binho. Quem conhece Sorria e a política de Fátima não arriscaria tanto. Lembrem-se de que nós estamos na Bahia e, para não perder, há políticos que arriscam tudo. O que perderia Sorria com mais alguns processos? O fato é que o atual prefeito não está morto e tem grana guardada. Jogador com dinheiro na mão, que não é seu, é um perigo público.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta