Poucas & Boas 2019.Últimas

Contas rejeitadas I

O prefeito Ildinho, se não conseguir reverter a situação, poderá levar para debaixo do seu travesseiro a rejeição das contas do município do ano de 2018. Do ponto de vista político não muda nada. O problema é um homem como Ildinho ter lutado a vida toda para ter um bom nome e o TCM borrar. A explicação técnica é que houve abertura de crédito adicional suplementar sem existência dos recursos correspondentes, indo de encontro ao art. 167, inciso V da Constituição Federal. Além disso, a irregularidade também ofende o art. 1º, inciso VI da Resolução TCM nº 222/92, levantando a hipótese de ato ilícito previsto nos incisos V e XVII, do art. 1º do Decreto-Lei nº 201/67. O conselheiro foi o Fernando Vita. Desta vez, portanto, não foi a folha de pagamento a responsável pela reprovação das contas do prefeito de Heliópolis.

Contas rejeitadas II

Claro que os opositores vão aproveitar a reprovação das contas de 2018 para tentar colocar sal no café de Thiago Andrade. Se conselho de graça servir, não seria bom usar a reprovação das contas de Ildinho para tentar atingir a candidatura governista. Para quem ainda não sabe, todas as contas do último prefeito da oposição, o Walter Rosário, do PCdoB, foram aprovadas pelo TCM e ele virou um dos principais alvos da Operação 13 de maio, uma força tarefa contra a corrupção na administração pública na nossa região. A situação do ex-prefeito é tão vexatória que teve o arrasto de 14 rezes de raça, retiradas de sua fazenda para pagar uma dívida neste mês de dezembro. O Walter Rosário tem que torcer para que não volte a prisão em 2ª instância. Caso contrário, poderá não comer peru no próximo Natal com a família.

Inauguração tardia

O prefeito de Cícero Dantas, Dr. Ricardo, está mal assessorado ou não está bem na fita. Um dia desses resolveu inaugurar o calçamento de umas ruas do povoado Ilha (Vila São Pedro), que já estavam prontas há muito tempo. Na hora da inauguração não tinha ninguém. Nem mesmo os vereadores da situação estavam todos lá. Secretários? Havia uns três ou quatro. Assessores? Poucos. Depois de tentarem com carro de som e tudo mais chamar o povo, desistiram. Como pela noite havia festa, o prefeito apareceu por lá e, aproveitando o momento público, soltou as palavras presas na garganta desde cedo. O caso é sério, Doutor!

Nenhuma reeleição

Se listarmos os municípios de Ribeira do Pombal, Ribeira do Amparo, Cícero Dantas, Fátima, Heliópolis e Poço Verde (Sergipe), não será surpresa se tivermos seis novos prefeitos em 2021. Destes, só Heliópolis e Ribeira do Pombal têm prefeitos que já foram reeleitos e são os mais bem avaliados. Podem, sim, fazer seus sucessores. Todos os outros têm prefeitos que podem se candidatar à reeleição e não estão bem na foto. As administrações são horríveis ou apenas medianas, muitos deles sofrendo com atraso de pagamentos de servidores. É curioso porque os reeleitos, normalmente, são os que entram em desgaste. No entanto, Ildinho e Ricardo Maia tem candidatos que lideram as indicações de votos e suas administrações têm aprovação popular.

Meirinha prefeita

A vereadora de Irecê, Meirinha, que foi candidata pela Rede Sustentabilidade a deputada federal, pode surpreender na eleição para prefeito de Irecê. Ela foi a segunda mais votada do município, em 2018, e é um dos nomes mais lembrados para sentar na cadeira. Meirinha já tem do seu lado 23 candidatos a vereador e esse número poderá crescer. O prefeito Elmo Vaz, do PSB, pode até disputar a reeleição, mas suas contas também foram rejeitadas. Os motivos da rejeição foram os mesmos que causaram a desaprovação das contas de Ildinho. Se Elmo resolver apoiar Meirinha, vai ser de lavada! Para quem ainda não sabe, Meirinha tem apenas 90 centímetros de altura e uma vontade do tamanho da Bahia.

E por falar em vontade…

Há certos políticos em Heliópolis que ainda não aprenderam a separar as questões pessoais das questões políticas. Em política, ninguém segue só, porque é a arte do coletivo. Você pode seguir sua vida e mudar de rumo. Se der certo, viva! Se der errado, só você sofrerá. Em política vale o planejamento. Se for preciso mudar, todos devem opinar e saber, porque a mudança afeta a todos. Acordos individuais em política não funcionam sem o aval dos seguidores. Conheci um político que vivia a me dizer: “Mas não publique isso não. O povo não deve saber”. Hoje está inelegível. O bom candidato é aquele que divide a construção do projeto e os louros da vitória ou derrota com os aliados. Se não estiver pronto para fazer isso, caia fora!

Números da educação

Não são nada animadores os números da educação na Bahia e no Brasil, em 2019. Ninguém está fazendo nada para sair do buraco que nos levará à ignorância. Todos estão dormindo em berço esplêndido. E quem imaginava que a reprovação é coisa dos grandes colégios, enganou-se. A escola que mais reprova em nossa região é uma escola indígena em Banzaê. São 4 reprovados em cada dez alunos matriculados, isso em 2018. No CEJDS, em Heliópolis, são 2 para 10, e está no meio da lista. Curioso é que há 5 escolas indígenas em Banzaê. Todas juntas dariam uma escola de pouco mais de 200 alunos. Rivalidades não permitem a união. Nossa escola não consegue sucesso nem mesmo para promover a paz.

E por falar em paz…

Feliz Natal a todos. Que 2020 não seja apenas o passar dos dias, um calendário na parede ou a contagem irremediável do tempo. Que seja ele um ano de afirmação, de encontro com a paz e a verdade. Que ele enterre as ideologias e faça renascer a ética e o amor ao outro. Que nossa região encontre o caminho do desenvolvimento, brotando neste sertão o legado da união das diferenças. São os votos do portal Contraprosa, Landisvalth Blog, Cheio de Arte, estúdio Versão Brasileira e da Controverso Comunicação.   

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta