Poucas & Boas: O vírus em Raspador e o negacionista que cai

Vereador Van da Barreira

Van não vai não!

O vereador Van da Barreira confirmou os recados recebidos para aderir ao grupo do prefeito José Mendonça. Entretanto, deixou bem claro sua posição. “Fui eleito pelo grupo e continuarei nele.”. E, para que não duvidem de sua palavra, Van já aceitou o convite da vereadora Ana Dalva para, junto com Maria de Renilson, realizarem algumas visitas turísticas no município. Bom!

E vai piorar!

O governador Rui Costa decretou toque de recolher em 343 cidades da Bahia. Da nossa região estão na lista: Adustina, Antas, Banzaê, Cícero Dantas, Cipó, Coronel João Sá, Euclides da Cunha, Heliópolis, Itapicuru, Jeremoabo, Monte Santo, Nova Soure, Novo Triunfo, Olindina, Paripiranga, Paulo Afonso, Pedro Alexandre, Quijingue, Alagoinhas, Ribeira do Amparo, Ribeira do Pombal, Sitio do Quinto, Tucano, Uauá. Há municípios onde a situação estava ruim e continua na mesma balada. Há outros em que os casos quadriplicaram. O toque de recolher vai das 22:00 às 05:00, a partir desta sexta-feira (19). Se a variante P1 do coronavírus chegar por aqui, o drama vai virar dramalhão.

Raspador lidera

Segundo informações do blog do Joilson Costa, o distrito de Raspador, no município de Ribeira do Amparo, é o principal foco de disseminação da Covid-19. São 52 casos ativos na Ribeira e, destes, 39 estão no Raspador. Com auxílio da Polícia Civil, o município iniciou a Operação Fique em Casa. O objetivo é impedir desobediência ao isolamento social. A delegada, Dra. Rosana, deixou claro que quem descumprir distanciamento social e não usar máscara responderá na esfera civil e criminal. Agora vai!

O vírus numa Ferrari

Muitas pessoas dão sua contribuição ao vírus (foto: G1)

Nunca antes na história o Brasil viveu semelhante comportamento social. As pessoas estão desdenhando da pandemia. Não aceitam verdades e desprezam a ciência. Estamos à beira de um colapso e pessoas se reúnem para brincar carnaval. O cantor Belo foi preso por fazer show numa comunidade, invadindo um espaço educacional público. Pior, disse que estava sendo preso porque fazia música. No portal O Antagonista, o médico Eduardo Sprinz disse que “a sociedade está em xeque total. Estamos à beira do colapso nos próximos dias”. Ele é chefe do Serviço de Infectologia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre e responsável pelos testes clínicos na instituição da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e o laboratório AstraZeneca. Para ele, a única arma que temos é o distanciamento social e o uso de máscaras. A vacina seria outra arma, mas está vindo muito devagar. O vírus está numa Ferrari.  

Rombo de 42 bilhões

Quem imaginava que a eleição de Bolsonaro seria o fim da corrupção, quebrou a cara. Sérgio Moro estava certo ao dizer que a corrupção no Brasil é endêmica. Além disso, há pessoas que idolatram políticos, o que contribui para que ela continue corroendo as contas públicas. Hoje cedo, a incansável Polícia Federal deflagrou a Operação Terceira Parcela, contra desvios do auxílio emergencial. São 200 policiais cumprindo 66 mandados de busca e apreensão em Belo Horizonte e mais 38 municípios do estado de Minas Gerais. Também há ações em Tocantins, Paraíba e Bahia. Só não divulgaram os nomes dos envolvidos. Uma auditoria do TCU identificou pagamentos irregulares de R$ 42 bilhões no auxílio emergencial. A impressão que temos é que não há espaço na cadeia para a quantidade de ladrões que temos.

Aceita a queda que dói menos

Jair Bolsonaro, em queda, abandona seus aliados (foto: InfoMoney)

Em mais uma pesquisa divulgada pelo portal Poder 360, Jair Bolsonaro é considerado ruim e péssimo por 48% dos brasileiros. Trata-se do seu pior desempenho até hoje, empatado com o de junho de 2020. E os números tendem a aumentar porque parece que o mito está abandonando seus seguidores. Na prisão do deputado Daniel Silveira, quem conhece Bolsonaro sabe que ele reagiria com duas pedras na mão contra o STF. Nada. Silêncio. Curtia sua praia em Santa Catarina, mergulhando num mar de 240 mil mortos pela sua gripezinha. Nas redes sociais, os bolsonaristas cobram. “Presidente, alguém tem que parar o STF. Mandar prender um deputado só por opinar contra eles? E os demais com crimes graves que estão soltos? Algo precisa ser feito, é um absurdo atrás do outro!” ou até num linguajar bem característico: “Presidente está cagando pros seus apoiadores”. Do jeito que vai, a queda será profunda e restará apenas aceitá-la para que doa menos nos seus seguidores.

Um problema chamado Daniel Silveira

Com o silêncio de Bolsonaro e seus filhos sobre a prisão de Daniel Silveira e com a atitude coletiva do STF, que por 11 a 0 homologou a prisão do deputado falastrão, os deputados do Centrão se meteram numa grande enroscada. Vão ter que ajudar Daniel, aliado de Bolsonaro, mas isso não deve custar pouca grana. O Centrão ainda não fez cirurgia bariátrica e tem fome. Hoje o deputado será ouvido pelo Supremo em audiência de custódia, mas foi ele próprio quem disse que “qualquer juiz, defensor, promotor, parlamentar, ou seja lá quem for que defenda audiência de custódia, é vagabundo e merece ser tratado como tal”. Fica difícil, mesmo para o Centrão, defender alguém que vive a pregar o fim do STF. Todos sabem que há inúmeros deputados enrascados com o Supremo até o pescoço. Precisam defender o bolsonarista sem complicarem ainda mais suas vidas com o STF. Um problemão.  

Sérgio Moro (imagem: Twiter)

Sérgio Moro no Podemos?

Até aqui, dois partidos sonham com a filiação de Sérgio Moro: o Podemos e o PSL. Além de Renata Abreu (Podemos) e Júnior Bozzella (PSL), o senador Álvaro Dias torce para que o ex-juiz da Lava Jato aceite a luta em 2022. Segundo este, a propósito das manobras no STF, na PGR e no Congresso Nacional para matar a Lava Jato, “uma reviravolta chocaria a população que votou contra a corrupção em 2018 e beneficiaria uma eventual candidatura do Moro, que simboliza esse sentimento. As cartas para 2022 ainda não foram apresentadas em sua plenitude, mas ele já tem visibilidade”. Diogo Mainardi, de O Antagonista, não se cansa de afirmar que Moro será presidente do Brasil, caso seja candidato.

Deixe uma resposta