Prefeito de Fátima não paga piso ao professor

O prefeito de Fátima precisa abrir os olhos para o servidor público (foto: Youtube)

O prefeito municipal de Fátima, Manoel Missias, conhecido por Sorria, ainda não enviou para a Câmara Municipal de Fátima o projeto de lei que reajusta os vencimentos dos professores em 4.17%, o que deveria ter sido feito em janeiro passado. Portanto, lá se vão cinco meses sem que os profissionais da educação desfrutem de um direito sagrado, que é o recebimento do Piso Nacional do Magistério.

Na administração do prefeito Sorria, os servidores tem amargado infinitos dissabores. Em 2018, o prefeito só deu aumento a partir de julho, sem direito a retroatividade. Ainda há um saldo de seis meses sem recebimento do Piso Nacional do ano passado. Com os atuais, logo se chagará a 1 ano. Lamentável, é que os servidores já bateram em várias portas e ninguém parece ter a solução, nem mesmo a Justiça.

A reportagem do Contraprosa esteve na cidade de Fátima e tentou falar com a presidente do SINDFA, Maria Elany, mas não foi possível. Em contato com o vereador Zezinho, da base do prefeito e ex-presidente da Câmara, este passou otimismo. Disse que as conversações já foram iniciadas e que até o fim do mês haverá uma solução. Na sessão da semana passada, a Câmara Municipal ficou lotada de servidores e os vereadores se solidarizaram com a luta dos funcionários públicos do município.

16 milhões dos Precatórios

Interrogado sobre os 16 milhões que a Prefeitura de Fátima tinha em caixa, o vereador Zezinho foi logo taxativo em dizer que só são, na verdade, 13 milhões. Os outros três foram pagos para os advogados. Ocorre que o próprio vereador informou que tribunais superiores impediram o pagamento de advogados com estes recursos. “O problema agora é como vão devolver, pois já foi tudo pago.”. Por outro lado, o vereador Zezinho também disse que esse dinheiro não pode ser utilizado no pagamento aos professores. É para ser gasto a partir da elaboração de um Plano de Ação.

O vereador Zezinho disse ainda que espera ver o prefeito negociando com os servidores. “Tudo pode ser resolvido na base da conversa. Tem que sentar para dialogar.”, insistiu. Quando questionado sobre se já havia algum plano de metas elaborado, Zezinho informa que, no final deste mês, o presidente do Conselho Municipal do Fundeb, professor Vicente, a secretária de educação e a presidente do SINDFA vão se reunir para consolidação de um amplo Plano de Ação para fazer os investimentos com o dinheiro do Precatório e para uma tomada de decisão sobre os vencimentos dos servidores.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta