Prefeito quer abrir tudo, “morra quem morrer”!

Fernando Gomes quer abrir tudo em Itabuna, “morra quem morrer” (foto: Na Chapa Quente)

Não, gente! O relato abaixo não aconteceu numa cidade pequena, encravada no mais profundo rincão deste país. Não aconteceu num estado desconhecido e distante da civilização. Aconteceu na Bahia e, mais precisamente,no município de Itabuna. Também não é coisa do passado. O fato se deu ontem (01.07) . O prefeito de Itabuna, Fernando Gomes (PTC), declarou numa “live” pela internet que autorizará que estabelecimentos comercias reabram as portas a partir da próxima quinta-feira (09.07) “morra quem morrer”.

O G1 reproduziu a fala infeliz do prefeito: “Primeiro, lutar pela vida, a vida é uma só. [Depois que] morrer, acabou [a vida]. Não tem fortuna, não tem pobreza, não tem falência, não tem nada. Mas não posso abrir uma coisa que não tenho cobertura. Com a dúvida, com os nossos morrendo por causa de um leito em Itabuna, vou transferir essa abertura. No dia 8, mandei fazer o decreto, que no dia 9 abre, morra quem morrer”.

Depois disso, cabe afirmar qual pecado cometeu o povo de Itabuna para continuar votando e elegendo Fernando Gomes, conhecidíssimo como Fernando Cuma. Na última semana, a previsão da prefeitura de Itabuna era colocar em prática a flexibilização das atividades comerciais já a partir de 1º de julho. No entanto, a reabertura foi adiada porque o município registra 100% de ocupação dos leitos de UTI para pacientes com a Covid-19, conforme apontou relatório da Procuradoria Jurídica do Município.

Como houve repercussão negativa, também em Itabuna os políticos sempre dizem que foram mal interpretados. Foi o que afirmou a prefeitura de Itabuna , por meio de uma nota. Disse ainda, em sua fala, que o prefeito está “contrariado com a situação, porque entende a necessidade da reabertura do comércio”. O prefeito ponderou na nota que, segundo ele, “40 lojas não voltarão a abrir em Itabuna, e vários pais de família estão desempregados”. Mas a nota não pondera que os desempregados estarão vivos e que tudo pode ser recomeçado, menos a vida. Para não piorar sua situação, o prefeito, em outra nota, disse que “nossos atos, como cidade com maior testagem e uma das que há mais tempo permanece com o comércio fechado, só reforçam o nosso compromisso pela vida da nossa população. Tenho cinco mandatos como prefeito, o povo de Itabuna me conhece”, diz. Segundo o último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do estado (Sesab), Itabuna possui 2.637 casos confirmados de coronavírus, com 58 mortes em decorrência da doença.

O governador Rui Costa, em entrevista coletiva, durante cerimônia pela Independência do Brasil na Bahia, nesta quinta-feira (2), disse que ele próprio conversou com o prefeito e pediu que o comércio de Itabuna não fosse reaberto nesta semana, conforme previsto inicialmente. Rui Costa destacou que Fernando Gomes está se sentindo pressionado e, sob pressão, as pessoas “saem do ponto” e “perdem o equilíbrio”. “Pedi que não abrisse essa semana, e ele não abriu. Mas ele tem se sentido pressionado, tem uma voz nacional que diz para abrir, que ganha apoio de comerciantes, com medo de quebrar. Sob pressão, as pessoas saem do ponto, perdem o equilíbrio. Falei com ele ontem, está no quinto mandato, tem quase 80 anos, me disse que nunca viveu uma situação como essa, que nunca se sentiu tão pressionado”, falou Rui Costa.

Apesar de o governador tentar minimizar a questão, ficou claro que há certos políticos que carregam no lugar do coração um cofre. Itabuna precisa evoluir. É hora de eleger políticos estadistas, deixando de lado rivalidades medievais e fixando seu progresso no ser humano, na melhoria da vida das pessoas. Itabuna tem 200 mil habitantes e tudo para, ao lado de Ilhéus, formar um centro de desenvolvimento progressista e humano no sua da Bahia. Precisa pensar no futuro. O passado foi feito para a gente aprender com os erros e as virtudes. Não precisamos repeti-lo.   

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta