Represa rompe e Coronel João Sá está em estado de alerta

A represa do Rio do Peixe rompeu por volta das 11 horas de hoje.

A represa do Rio do Peixe, localizada no povoado de Quati, município de Pedro Alexandre, na divisa da Bahia com Sergipe, distante de Salvador cerca de 435 quilômetros, teve sua estrutura de contenção rompida na manhã desta quinta-feira (11). O fato aconteceu por volta das 11 horas da manhã e é consequência da quantidade de chuva que cai em nossa região. Há muitos anos não se registra uma chuva tão persistente. Em algumas localidades, o acumulado de uma semana já equivale a um inverno inteiro. Não há, até aqui, notícias de vítimas fatais ou desaparecidos, mas o prefeito Carlinhos Sobral, de Coronel João Sá, município mais atingido pelas águas, decretou Estado de Emergência.

O rio do Peixe, ou Rio Quingomes, atravessa os municípios de Pedro Alexandre e Coronel João Sá e é o principal rio desta região limítrofe com Sergipe. Toda essa quantidade de água vai até o distrito de Samambaia, em Coronel João Sá, e lá desagua no Vaza-Barris, principal rio do Nordeste da Bahia, com foz no povoado Mosqueiro, em Aracaju, capital sergipana. O sinal de alerta está dado para o acúmulo de água que deverá levar perigo aos ribeirinhos dos dois estados. Para completar, antes de cair no Vaza-Barris, o Rio do Peixe recebe água dos rios das Tocas e dos Cavalos, localizados na mesma região e cheios como nunca estiveram.

A Agência Nacional de Águas (ANA) informou que a barragem Quati é de usos múltiplos de água. “Por se tratar de uma barragem em rio estadual, a fiscalização desse açude não compete à ANA, e sim à autoridade competente no estado da Bahia. Mesmo assim, guardando as devidas atribuições dos órgãos regionais, a ANA acompanha a situação”, revela a nota.

O problema é a situação da BR 235 e da BA 084, rodovias que são diretamente atingidas pelas enchentes. Próximo a Coronel João Sá, no povoado Boa Sorte, a pista está interrompida. De acordo com o Dnit, técnicos do órgão estão no local “aguardando a redução do nível da água para verificar possíveis danos à rodovia, recuperar em caráter emergencial e restabelecer a trafegabilidade o mais rápido possível”. A BR 235 é responsável por fazer a ligação entre a Bahia e Sergipe. Não há informações sobre a BA 084,

Segundo Carla Leão, coordenadora da Defesa Civil da cidade de Coronel João Sá, algumas casas que ficam no povoado foram tomadas pela terra, que se misturou com a água da chuva e formou uma lama. “Algumas casas foram invadidas, mas não teve feridos. Ainda não conseguimos contato com esses moradores porque o povoado está ilhado. Tem muita lama e água no caminho. Apesar disso, sabemos que eles não foram atingidos porque entramos em contato antes, e eles deixaram as casas antes do rompimento”, afirmou a coordenadora.

A Defesa Civil local informou que acionou o Corpo de Bombeiros de Paulo Afonso para ajudar nos atendimentos da região. Os órgãos alertam para necessidade dos moradores de Coronel João Sá, vizinha à Pedro Alexandre, deixarem as casas. “A preocupação é com a cidade de Coronel João Sá. Ela está na rota que a lama (?) seguirá. Então, pedimos que as pessoas procurem ajuda. Já fiquei sabendo que a prefeitura está fazendo o trabalho de retirada dos moradores. Muitos já foram para abrigos”, completou a coordenadora.

Por conta do rompimento da represa, Carlinhos Sobral, prefeito de Coronel João Sá, publicou um vídeo nas redes sociais alertando sobre o risco de as pessoas continuarem nas casas. O curioso é que o efeito Brumadinho faz as pessoas misturarem água com lama e barragem por represa. Não há lama por aqui. Trata-se de muita água, coisa que não acontece por cerca de 35 anos.

Disse o prefeito: “Pessoal, a barragem (?) do Quati estourou. É uma situação atípica. Nunca aconteceu isso com essa barragem. Nós não sabemos as consequências. Eu peço encarecidamente que todas a as pessoas que moram em área de risco que saiam das suas casas, que peguem seus documentos pessoais, peguem seus objetos de valores, o que puderem levar. A gente não sabe as consequências, nunca passamos por ela. É melhor prevenir. Estou monitorando. Todas as escolas já estão disponíveis para receber as pessoas”, afirmou o prefeito.

Segundo a prefeitura, os bairros que mais despertam preocupação são: Beira Rio, Bonfim, José Antônio dos Santos, Santo Antonio (Rua velha), Galo, Barroquinha, além dos que estão próximos ao Rio do Peixe. A recomendação é que as famílias procurem a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social. Por volta das 12h30, o prefeito divulgou no perfil oficial no Instagram as escolas que estão disponíveis para acolher a comunidade. As pessoas com problemas podem procurar abrigo no Colégio Municipal Maria Dalva, no Ruy Barbosa, Juracy Magalhães e também no Paraíso Infantil.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta