Rodrigo Maia, o filho de Lula, Fernando Pimentel e Fernando Bezerra delatados!

Maia, Luleco, Pimentel e Bezerra na mira da Lava Jato (foto-montagem: Contraprosa)

O portal O Antagonista, em reportagens de Claudio Dantas e Renan Ramalho, divulgou nesta segunda-feira (13), agora pela noite, que o Presidente da Câmara Rodrigo Maia, do DEM, recebeu propina de Henrique Constantino, dono da Gol. Este afirmou em sua delação ter pago propina a Rodrigo Maia por meio da Abear (Associação Brasileira de Empresas Aéreas). A informação está no anexo 7 do acordo de colaboração premiada. Além de Maia, também são citados como beneficiários Romero Jucá, Vicente Cândido, Ciro Nogueira, Marco Maia, Edinho Araújo, Otávio Leite, Bruno Araújo dentre outros.

O “benefício financeiro”, segundo Constantino, teria relação com a aprovação da abertura do capital das companhias aéreas a estrangeiros. Na delação premiada homologada pela Justiça, Henrique Constantino também declarou ter feito doações não contabilizadas para a campanha do ex-governador de Minas, Fernando Pimentel. Neste ano, o petista se tornou réu em duas ações por caixa 2. É acusado de ter recebido R$1,5 milhão de empreiteiras e do setor de transporte de Belo Horizonte, e ainda levar outros R$ 3,5 milhões na campanha de 2014.

O empresário Henrique Constantino ainda confirmou em sua delação ter pago propina a Luís Cláudio Lula da Silva, o Luleco, por meio de patrocínio à liga de futebol americano. A transação, segundo Constantino, foi intermediada pelo deputado federal Vicente Cândido (PT).

Outro delator, João Pacífico, ex-diretor da Odebrecht, em outra confissão, esteve no Ministério da Integração Nacional no mesmo dia em que o departamento de propina da empreiteira registrou um pagamento de R$ 350 mil. O destinatário seria o então ministro, Fernando Bezerra, hoje líder do governo de Jair Bolsonaro no Senado. Bezerra, claro, nega.

Coincidência é que os conteúdos das delações sempre aparecem quando os deputados resolvem enfraquecer a Lava Jato. Depois de sucessivas derrotas no Congresso, parece que os procuradores sabem bem mais do que divulgam e vão soltando para a imprensa como se mandassem mensagens de alerta aos deputados. Moro chegou a ser chamado de “empregado de Bolsonaro”. Hoje, em Nova York, o presidente da Câmara parece ter entendido o alerta. Disse, em alto e bom som, que Sergio Moro tem “todas as qualidades” para ser indicado ao STF e que o ministro mostra mais habilidade de articulação política que outros quadros do governo, relata a Folha. “Acho que a política tem que olhar o ministro Moro hoje de outra forma. Acho que o que ele fez na semana passada, mesmo tendo resultado desfavorável, foi fazer política”, disse o presidente da Câmara, referindo-se à tentativa de Moro de manter o Coaf na Justiça. Será que Moro mudou tanto assim?

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta