Rui Costa está certo. Evolua, Valter Pomar!

Rui Costa é um petista em evolução, já Valter Pomar… (foto: montagem do Contraprosa)

Há certas coisas que não viram notícias, mas que podem revelar o comportamento maluco de certas pessoas. Estou me referindo à repercussão da afirmação do governador Rui Costa em dizer que deveríamos pensar na possibilidade de ricos pagarem mensalidades nas escolas públicas. Duas reações parecem revelar a incapacidade de pessoas filiadas ao PT em perceber que o estado não pode tudo. As reações ao que disse o governador foram, a bem dizer, insanas. Rui fala em “tabus” e eu chamo de “dogmas”. Os primeiros são quebrados e os últimos não podemos sequer discutir.

O comportamento de membros do PT em transformar a questão das mensalidades num dogma é fruto da incapacidade de uma parte desta suposta esquerda de perceber que nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia. E é de Lulu Santos também a máxima de que tudo passa, tudo sempre passará. O artigo de Valter Pomar, um historiador da cúpula nacional do PT, publicado no portal Brasil 247, “O print, o tabu e o governador Rui Costa” é um desserviço à nossa inteligência. A lógica em que ele diz acreditar não foi suficiente para pedir a Luiz Marinho, sindicalista do PT e ex-prefeito de São Bernardo Campo – SP, que teve 76 milhões bloqueados pela justiça, que escolhesse um lado. Um sindicalista, de um partido de trabalhadores, com um patrimônio destes não deveria escolher ficar do lado dos políticos honestos?

No mesmo artigo, usando sua lógica, o Valter Pomar diz que “o governador Rui vai na contramão do que a conjuntura exige de todos nós.” Que conjuntura, cara pálida? A sua? De sua ideologia tacanha e inalterada? Evolua, Valter Pomar. Não vimos sua indignação com os desvios praticados pelo PT, desde o Mensalão até o Petrolão. Não votei em Rui Costa, mas ele está defendendo o financiamento da universidade pública. A Bahia não tem mais dinheiro e o pobre não pode mais pagar! As coisas mudaram! Evolua, Valter Pomar!

O resto do artigo é a busca de motivos para justificar a babaquice que Valter afirmou, envolvendo a greve dos professores da Uneb, a ideia de Rui de ter um plano B como alternativa a Lula e outras boas interferências do governador ante alguns temas nacionais, e que provocaram senões dentro do partido. Tudo isso usado como prova de uma suposta traição ao partido. Chega a dizer que Rui “está na vanguarda daqueles que defendem um outro tipo de política, para um outro tipo de Partido, bem diferente do que é o Partido dos Trabalhadores.”. De fato. Isso engrandece Rui Costa e torna o PT uma seita cheia de dogmas.

Mas não foi apenas o Pomar. Também os estudantes estão dando vexame. E nós sempre achamos que os jovens são capazes de trazer a modernidade, o limiar de um novo pensamento… Nada disso. A Juventude do PT saiu com uma nota ridícula e, para defenestrar o governador, disse que “reportagem da revista Exame de 17 de maio, com informações fornecidas pela ANDIFES, revela que nas Universidades Federais, 70,2% dos estudantes são de baixa renda (até 1,5 salário mínimo de renda familiar per capita), e 51,2% são negros.” Per capita significa que cada membro da família tem renda de 1.500 reais. Numa família padrão, chegaríamos a 6 mil reais, um casal com dois filhos. Ou seja, 29,8%, os que ganham acima de 6 mil reais poderiam pagar alguma coisa para ajudar no financiamento da universidade pública, inclusive aqueles que pagaram escola particular a vida inteira.

Rui Costa não está quebrando nenhum tabu. Está usando a racionalidade. E essa coisa de dizer que isso é o início da privatização da universidade pública é ruído de quem não acredita no estado democrático, nas leis e na nossa Constituição. É típico de quem não assinou a Carta Magna, mas vive a usá-la, quando lhe interessa. Rui Costa tem outros, e muitos outros, defeitos. O Valter Pomar e a Juventude Petista estão criticando suas mais inteligentes propostas. Agora, mal pergunte, alguém do PT da Bahia defendeu o governador?

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta