Uma era de aberrações!

As aberrações são tantas que muitos nem mesmo enxergam! (foto: Irregular.com)

Tenho inúmeras razões para não acreditar neste país, pelo menos a curto prazo. Não se trata de pessimismo, mas de uma realidade que bate na nossa cara todos os dias. E olhe que temos motivos para um otimismo renovador quando, finalmente, é anunciada a 1ª vacina aprovada no Reino Unido. Olhando mais longe, a forma como a vacina foi forjada nos dá esperanças de que outras doenças terão seu caminho para a cura encurtado. Mesmo assim, virando um pouco o rosto ao lado, assistimos a um desfile de aberrações que, em outros tempos, poderíamos imaginar que são prenúncios do início de uma guerra civil.

Porque não há outra coisa a dizer quando um juiz condena três corruptos. As provas são robustas e, pasmem, a sentença foi anulada pelo motivo mais torpe: o processo correu de forma veloz! Como pode um juiz condenar alguém seguindo rigorosamente os prazos estipulados em lei, obedecendo a todo ritual, inclusive dando aos acusados o amplo direito de defesa? Um absurdo! Este julgador é um fascista – dizem os defensores da corruptalha! Vem então a Suprema Corte e manda o processo de volta à 1ª Instância. Novo juiz, nova mentalidade, novo julgamento. Como nada estava errado, os três são julgados novamente culpados e o processo segue para a 2ª instância. A sentença é confirmada e os anos de cadeia ampliados. Finalmente os bandidos do colarinho branco vão ver o sol nascer quadrado. Justiça feita! Não! O STF considerou inconstitucional a prisão para condenados em 2ª instância. O corruptos estão soltos. Pergunte a qualquer petista sem consciência quem é o culpado de tudo? Resposta: Sérgio Moro, o juiz que teve a sentença anulada, mesmo que confirmada depois como correta.

Ou ainda se pode ficar indignado quando um ministro da saúde dá entrevista e diz que não houve aumento dos números da pandemia no país, mesmo com o desenrolar das eleições municipais. Disse isso exatamente após uma semana de números crescentes, quando o Brasil chegou ao patamar de 52 mil contaminados em 24 horas, o dobro da média registrada antes das eleições. Para esconder sua incapacidade e desinformação, vem o seu chefe, o presidente da República, e diz que quem está sendo contaminado são aqueles que estavam em casa confinados. São os mesmos personagens que disseram não haver condições para aquisição da vacina aprovada na Inglaterra porque não tínhamos condições de armazená-la em temperatura de -70 graus. Nem se deram ao trabalho de procurar saber se há instituições no país que possam fazer o procedimento. A má vontade tem um motivador: o negacionismo. Para Bolsonaro e seus equivocados a Covid-19 não passa de uma gripezinha. Se a pandemia chegou a este nível alarmante, a culpa é dos prefeitos e governadores.

Também a nossa capacidade de se indignar no Brasil foi testada esta semana com dois documentos. O primeiro foi uma pesquisa paga com recursos públicos, pelo ministério da economia, para listar quais os jornalistas, youtúberes, influenciadores digitais, colunistas e comentaristas que poderiam receber três selos: detrator, neutro ou simpatizante do governo Bolsonaro. O outro foi a decisão da Fundação Palmares, presidida pelo equivocado bolsonarista Sérgio Camargo, de eliminar da Lista de Personalidades Negras todos os que estão vivos. De Gilberto Gil a Marina Silva, foram cerca de 90 nomes. Por coincidência, todos críticos do governo Bolsonaro. Só há um nome para isto: Totalitarismo. Querem calar a imprensa e as manifestações culturais que não estão aliadas ao pensamento tosco e medieval do bolsonarismo. Para completar o drama, temos uma oposição composta de bons e envergonhados. Os bons estão silenciosos e absortos na vida; os envergonhados apenas repetem a velha ladainha do socialismo operário dos anos iniciais do século passado. Admitir erros, jamais!

Para não ser pessimista, é preciso acreditar em certas coisas! Então, a terra é plana, o homem nunca foi à lua, Cloroquina é um remédio milagroso que cura tudo, o Vitória será campeão da série A este ano, Donald Trump foi reeleito nos Estados Unidos, Flávio Bolsonaro é apenas uma vítima da imprensa livre deste país, 1964 foi uma Revolução, Cícero Dantas, Ribeira do Amparo, Poço Verde e Heliópolis elegeram prefeitos que farão uma revolução nos modos de administrar cidades… Querem mais? Não! Chega! Vou parar por aqui para não ficar deprimido!

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta