Veículos irregulares desaparecem das ruas

É cada vez maior o número de veículos irregulares (foto: A Tarde)

Lançamento do Maio Amarelo faz condutores guardarem veículos com alguma irregularidade em casa  

O programa Maio Amarelo terá trinta dias dedicados à conscientização e prevenção às mortes causadas pelos acidentes de trânsito. A campanha de caráter universal nasceu com o objetivo de conscientizar as pessoas para um trânsito mais seguro, humano e responsável. Com isso, as polícias militares dos estados estão intensificando a fiscalização em cidades onde havia certa frouxidão no processo de fiscalização de condutores e veículos.

As irregularidades são muitas e as mais variadas possíveis. Vão deste de a falta de habilitação até a circulação de veículos na lista dos roubados. Os Batalhões de Polícia Rodoviária da Bahia e Sergipe estão fazendo blitz em diversos pontos dos dois estados. Vários avisos foram difundidos nas redes sociais da intensificação da fiscalização a partir desta segunda (06). Não deu outra. As ruas estão visivelmente esvaziadas. Nos colégios da região, estudantes que costumavam conduzir veículos com alguma irregularidade, por exemplo, resolveu ir aos estudos andando.

O objetivo do programa é despertar a sociedade para os dados alarmantes, que relatam a morte de milhares de pessoas por acidentes de trânsito. Claro, também há a questão da busca da diminuição de roubos de veículos e o aumento da arrecadação das taxas estatais, principalmente o IPVA. Com essa crise, há inúmeros condutores que deixam para pagar o imposto quando não tem mais jeito.    

A ANFAVEA é a patrocinadora da campanha nacional, que conta este ano com o apoio oficial do Governo Federal, por meio do Ministério da Infraestrutura e do DENATRAN (Departamento Nacional de Trânsito). As peças da campanha #ME OUÇA são disponibilizadas em alta resolução no site do Maio Amarelo (www.maioamarelo.com) para uso gratuito de empresas, entidades, municípios, grupos e fomentadores do trânsito mais seguro e humano. Os materiais disponíveis incluem peças publicitárias, spots de rádios e posts para redes sociais. Para usar, basta acrescentar o logo da instituição que representa e utilizar a campanha livremente.

Evidentemente, a campanha publicitária é focada na questão das inúmeras mortes em acidentes. A ideia é perceber que os acidentes não acontecem, mas sim são frutos de escolhas inadequadas e arriscadas. A maioria dos acidentes têm como motivação as falhas humanas como imperícia, imprudência e desatenção. Se isso é já problemático com o condutor que tem tudo bem documentado, imaginem menores pilotando motocicletas, condutores desabilitados guiando por aí ou veículos com documentação irregular. Será que a coisa toda vai ser mesmo regulariza ou só durará estes 30 dias?

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta