Poucas & Boas 2019.12

Presidente do Legislativo de Poço Verde-Se recebido em Heliópolis (foto: Landisvalth Lima)

Alexandre Dias em Heliópolis

O Presidente do Legislativo Municipal de Poço Verde, vereador Alexandre Dias, visitou a Câmara Municipal de Heliópolis e fez parte como convidado da sessão da última segunda-feira (26). Ao final da reunião, Alexandre agradeceu a acolhida do presidente da casa, vereador Valdelício Dantas da Gama, e disse que está percorrendo as câmaras municipais vizinhas ao município de Poço Verde para uma troca de experiências. “Muitas coisas aqui hoje aprendi e vou levar para Poço Verde”, disse gentilmente. Aproveitou para convidar os vereadores para as sessões legislativas do município sergipano, que sempre ocorrem às terças e quintas.

Protesto pela Amazônia

Os alunos do Grêmio Estudantil Novas Tendências – o Gente – do Colégio Estadual José Dantas de Souza – fizeram protesto na sessão da Câmara de Vereadores de Heliópolis na sessão desta segunda-feira. O presidente do grêmio, Uelinton Bispo, usou a palavra no tempo destinado ao público e soltou o verbo contra as queimadas na Amazônia. Antes, os estudantes espalharam cartazes com palavras de ordem contra as atitudes do governo Bolsonaro que estão colocando o Brasil em situação de vexame internacional. Um painel de cartolinas e faixas cobriu parte da rua em frente à Câmara.

Moção de Aplauso

Os vereadores da oposição aproveitaram para fazer uma mediazinha com os estudantes e colocaram uma Moção de Aplauso pela manifestação dos estudantes no último dia 13 de agosto pelas ruas de Heliópolis, com participação de estudantes de Fátima, Cícero Dantas e Ribeira do Pombal. Claro, a Moção foi aprovada por unanimidade, mas Ana Dalva, Maria de Renilson e Clóvis chamaram atenção de que não foram convidados para assinar o documento, o que fariam de bom grado. Ana Dalva, que gosta sempre desta coisa de união dos edis e sempre propõe documentos coletivos, aprendeu que não há solidariedade quando a farinha é pouca.

Ato deselegante

É atordoante a doença do eu primeiro. Mais uma vez, o vereador Giomar Evangelista, na ânsia de se mostrar enturmado, comete erros grosseiros e deselegantes. Na sessão, na hora de seu discurso, rasgou elogios aos estudantes e ao presidente do grêmio, Uéliton Bispo, citou os professores Adilson Nobre e Fábio Alves, dentre outros, e nem sequer fez referência às professores Ana Carla (Língua Portuguesa), Carla (Física) e Daiane (Sociologia), que se prontificaram a acompanhar os alunos e participaram da sessão da câmara. O motivo não foi só engano. Talvez as professoras não façam parte do seu estafe político.

Números assustadores

Demorará um bom tempo para o mundo sentir os efeitos catastróficos do desmatamento na Amazônia, mas, antes disso, veremos os efeitos da devastação que estão fazendo na educação. O número de jovens que está abandonando os estudos é avassalador. Somente no Colégio Estadual José Dantas de Souza, até o dia 20 de agosto, 122 alunos abandonaram a sala de aula. Metade desses abandonos ocorre nas turmas da 1ª série. Pior é que ninguém está fazendo nada para tentar estancar a sangria. Os técnicos e pedagogos insistem em remédios que funcionam como um comprimido de dipirona em quem está com metástase.

Aposta em Barracão

Alguns analistas políticos de Poço Verde acham que o afastamento do vice-prefeito do grupo político de Everaldo Oliveira foi uma estratégia bem bolada de Barracão. Ele aparece nas pesquisas apenas 7 pontos atrás do prefeito. Os insatisfeitos com Iggor Oliveira, que não querem votar no grupo de Toinho de Dorinha, tendem a buscar uma alternativa para o grupo, com esperanças de ter um nome competitivo. É aí que está a faixa de crescimento do vice: a esperança de ter um nome que não dê vexame e mantenha o grupo bem na fita.

Amigos, pero no mucho

Um vereador encontrou o prefeito de seu município e pegou em sua mão com entusiasmo. Disse que finalmente o havia encontrado. O vereador logo se queixou que o prefeito se encontrava mais com um vereador da oposição, crítico ferrenho do seu governo, numa mesa de jogo, que com os de seu grupo. O prefeito não gostou da referência e disse em segredo que o vereador só ficava valente assim quando o bolso estava vazio. Que maldade!

Estradas que causam barulho

Uma coisa ninguém pode negar: as estradas da nossa região, com raras exceções, estão em calamidade pública. As vicinais são verdadeiras crateras. Os prefeitos da região não resolvem o problema, apenas adotam paliativos. Claro, os vereadores da oposição caem de pau e pisoteiam os administradores. Ildinho, em Heliópolis, tem sofrido penúrias na Câmara Municipal. Os mesmos vereadores que hoje reclamam, exceção feita ao vereador Doriedson, são os que ficavam em silêncio quando os mesmíssimos problemas aconteciam na administração de um prefeito do PCdoB.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta