Poucas & Boas 2019.14

1 milhão em emendas

Félix Mendonça quer que o PDT tenha candidato a prefeito em Heliópolis (foto: PDT)

João de Deus Ferreira Lino, presidente do PDT de Heliópolis, foi a Salvador conversar com o presidente estadual do partido, deputado federal Félix Mendonça. Na pauta, as filiações prováveis de Ana Dalva, Maria da Conceição, Thiago Andrade, Van da Barreira, Fabiano Gama, Vítor Marrocos e outros que ele ainda não revela. João estava muito bem acompanhado e ouviu do deputado a decisão de o PDT ter candidato a prefeito em Heliópolis agora em 2020. Além do nome de Thiago Andrade, há o do professor Kelton Almeida. João de Deus logo lembrou das emendas prometidas para obras diversas em Heliópolis, incluindo uma praça na Viuveira. Félix Mendonça disse que tinha pensado em 600 mil, mas como o ar condicionado do gabinete não estava muito bom, pediu a sua assessoria que começasse com 1 milhão para Heliópolis. Tomara que não consertem o aparelho tão cedo.

Curiosidade

Alguns leitores têm me questionado por que o nome de Zé do Sertão não aparece em nenhum lugar nos quadros do PT. Procuramos saber e o que dizem é que ele ainda não está filiado ao partido. Será que está aguardando garantias sobre algum acordo? Velhos pardais de guerra confirmam que ele não será vice, nem de Mendonça nem de Doriedson. Calma, gente! Ainda é cedo. Ele também não seria vice de Ildinho.

Novos edis

Gabriel Oliveira quer ser vereador

Além do nome do professor Lourinaldo rolar a toda hora como o mais novo a ter uma cadeira carimbada na Câmara Municipal de Poço Verde, se assim desejar e não for apanhado como vice de alguém, outro desponta como promessa entre os novos futuros edis: trata-se de Gabriel Oliveira. Ele fará 18 anos em novembro e é fundador e diretor do portal Hora da Notícia PV. Ainda é estudante e leitor assíduo do Poucas & Boas. E o garoto entra com certa coragem. Disse que vai se candidatar a vereador porque é o que a idade permite. Ele deseja mesmo um dia ser prefeito de Poço Verde. Perguntado se estava ligado a algum grupo, afirmou que se criou no grupo de Everaldo Oliveira, mas na última eleição votou com Toinho de Dorinha. Hoje se diz independente. Vale dizer que boa parte do eleitorado gosta de estar sempre inovando. É bom lembrar as expressivas votações de Alexandre Dias e do próprio Lourinaldo. Gabriel Oliveira chega em boa hora. Resta saber se não vai deixar a peteca cair.

BA 393

A rodovia que liga Heliópolis à BR-110 recebeu um tratamento razoável e está bem melhor, mas a mesma BA 393, que liga Heliópolis-BA a Poço Verde-SE está em petição de miséria. Ninguém mais dá notícias sobre a recuperação. Parece que deixaram de mão. O trecho da serra da Vaca Brava até Poço Verde está insuportável. Vamos aguardar a volta do prestígio dos nossos políticos, coisa que só deve ocorrer em período de eleição estadual.

Depende da zanga

Um político procurou um vereador e perguntou a ele se votaria num certo nome para ser candidato do grupo político. Como não gostava do indicado, o vereador disse que não. Perguntado como seria sua campanha, o vereador revelou que não se candidataria nem subiria em palanque algum. No dia da eleição viajaria para São Paulo. E deixou bem claro: “Isso se eu estiver calmo. Zangado, são outros quinhentos!”.

Helânio caiu por 2 votos

Finalmente a novela das contas do ex-prefeito Helânio Calazans teve o seu capítulo final. Foram reprovadas, mesmo tendo maioria. O problema é que não alcançou o quórum mínimo de 9 votos. O resultado foi 7 a 5. Pode ser incrível, mas Helânio ainda teve 7 votos a seu favor. Precisava de mais 2. Agora, ficará inelegível por 8 anos, tendo ao lado a companhia luxuosa do também ex José Weldon. O caminho está aberto para a candidatura do vereador Nininho de Nedito a prefeito em 2020.

Aposentadoria complementar

E por falar em contas públicas, sem querer dizer que isso é o principal motivo da má administração em Poço Verde, há um Projeto de Lei na Câmara de Vereadores de Poço Verde que dará muito pano para manga. É para corrigir o que chamaríamos de privilégio assustador. Poço Verde não tem previdência própria e seus servidores têm como parâmetro o regime geral previdenciário, que é o INSS. Há professores que ganham acima do teto, hoje 5.800 reais. O desconto previdenciário é limitado ao teto, mas, quando se aposenta, o professor poço-verdense recebe um complemento do município até atingir o valor do seu salário real. Só que não há nenhuma arrecadação para garantir este complemento e é a prefeitura que tem que arcar com o jabuti, porque é Lei. Para quem não sabe, a dita Lei foi criada em 2009 pelo então prefeito Antônio Dórea e começa a inviabilizar a administração dos recursos da educação. O jabuti está na câmara para ser corrigido. Caso não seja, o próximo prefeito ou prefeita vai desejar não ter entrado na política.

Salários em dia

A promessa de Iggor Oliveira de deixar os salários em dia na quarta-feira (18) foi parcialmente cumprida. Segundo Mário Almeida, secretário de finanças, só restam uns poucos funcionários lotados no gabinete para sanar tudo. Agora, o projeto de lei de aumento de 3,5% para os servidores, segundo Alexandre Dias, presidente do legislativo municipal, ainda não chegou ao seu gabinete. E pra quem não sabe, em Poço Verde, o pagamento de salários com o FUNDEB já compromete os 100%. Esta conta não vai fechar bem.

História de terror

Dizem que, em certos grupos políticos da nossa região, quando há briga dentro da agremiação quase sempre é por causa de dinheiro. Raros são os casos de escolha por força popular ou pela capacidade do indivíduo. Mas há uma história que circulou muito tempo em nossa região e serve para alertar os políticos que fazem da política seu meio de vida. Um vereador queria ser presidente da Câmara e pediu voto a um colega, que logo foi dizendo o valor do voto. Decepcionado, o vereador desistiu da presidência. Tempos depois, aquele que cobrou pelo voto virou nome do grupo para ser o prefeito e foi falar com o colega. Preparado, levou certa quantia para garantir o voto. O que queria ser presidente anteriormente não aceitou dinheiro nenhum. A campanha foi uma desgraça e os dois não se elegeram mais para nada.

Pesquisa

A Controverso Comunicação fará sua primeira pesquisa eleitoral em Heliópolis e em Poço Verde no mês de outubro. Mais detalhes na próxima edição do Poucas & Boas.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta