Poucas & Boas 2019.9

Iggor Oliveira: “Eu nunca fui preso!”

Não foi à entrevista com o Contraprosa (foto: Expressão Sergipana)

O prefeito de Poço Verde teve um breve encontro comigo no São Pedro de Heliópolis. Estava acompanhada de Saulo Emmanuel Abreu – o secretário municipal de Desenvolvimento Comunitário, Assistência Social e do Trabalho. Primeiro foi o Samuel que se queixou da postagem. Disse que fomos muito injustos e que em “Ainda dá tempo para administrar” havia inverdades. Foi aí então que fui apresentado ao prefeito. Depois de questionar a postagem, eu perguntei se ele estava disposto a contestar tudo numa entrevista filmada, sem cortes, pelo tempo que ele desejasse. Não haveria custos. Seria 0800.Topou. Perguntei se poderia ser na casa dele ou na minha. “Na sua”, respondeu. Indaguei ainda se ele estava preparado para responder a tudo, inclusive coisas espinhosas. Confirmou que sim e ainda completou: “Nunca fui preso! Posso responder a qualquer coisa!”. Marcamos para quarta-feira, dia 17 de julho, a partir das 18 horas. Esperamos até meia noite e o prefeito não apareceu.

Está preso, sim!

O prefeito de Poço Verde, Iggor Oliveira, disse que nunca havia sido preso. Como a palavra prisão é muito vasta, ele pode até dizer que o dito não está relacionado a Toinho de Dorinha, mas aos grilhões impecáveis do coração, mesmo que tenha depois que dar explicações a sua senhora. Mas a questão é política, sim, e ele não esteve, mas está preso. Insiste num sistema político da polarização: O nós contra eles. Aposta na formação de torcidas organizadas, transformando o jogo político numa partida de futebol. Não passa por sua cabeça a conscientização das massas, mas o controle sobre as pessoas. É aquele sujeito que acha que com festas e compra de votos se fatura uma eleição. Para não ser injusto com o prefeito, mas não é essa a prática de sempre? Então ele não veio para mudar nada! Se for derrotado, Iggor de Oliveira mostrará que o inovador não conseguiu trazer o novo nem vencer no velho sistema. Será uma dupla derrota!

Contraprosa em Garanhuns

Momento da apresentação de Altemar Dutra Jr. na igreja de Santo Antônio, no 29º FIG, em Garanhuns-Pe. (foto: Landisvalth Lima)

O portal Contraprosa está presente na 29º Festival de Inverno de Garanhuns, Pernambuco. Inúmeras reportagens serão produzidas sobre o maior evento cultural da América latina. São dez dias de música, cinema, teatro, artesanato, folclore, dança, circo, palestras, literatura, pintura, escultura e diversas outras artes. Garanhuns está localizada no agreste central de Pernambuco, possui pouco mais de 130 mil habitantes e recebe, durante o FIG, cerca de 500 mil visitantes. O evento cresceu tanto que os espaços ficaram pequenos. As peças de teatro, por exemplo, abrigam apenas 550 pessoas por apresentação no Palco do Centro Cultural. Sete horas antes já tem gente na fila para tentar conseguir um ingresso. Perceberemos, também, embora esteja bem próximo da gente, a apenas 380 quilômetros, temos muito a aprender com Garanhuns e Pernambuco.

Ronaldo e Valdelício

Ainda carece de confirmação, mas uma fonte fidedigna disse ao Landisvalth Blog que o vereador Valdelício Gama foi convencido pelo vereador Ronaldo Santana a não seguir Tiago Andrade como candidato do grupo do grupo do prefeito Ildinho. Ambos abraçaram a candidatura de Evanilson. Não está dito, mas o atual presidente da Câmara Municipal de Heliópolis vê aí uma boa possibilidade de surgir uma vaga para ele na chapa como vice. Entretanto, como seguro morreu de velho, já há oposicionistas ao prefeito divulgando que Zé do Sertão não será o vice de Mendonça. Apostam todas as bolas em Valdelício. Segundo eles, com o vereador da Serra dos Correias, agora vai!

Doriedson corre por fora

A candidatura de José Mendonça parece que não é uma unanimidade nas hostes dos opositores. Há um grupo sólido que tenta construir o nome do vereador Doriedson da Garagem como o cabeça-de-chapa. Falam até que contam com o apoio do empresário Celso e de outros simpatizantes do grupo de Aroaldo Barbosa. Além disso, o grupo de apoiadores de Mendonça já aceitaria ver a possibilidade de colocar o vereador na vice. A cada dia, fica mais difícil entender o que o vice-prefeito está fazendo por lá.

Marcelinho Veiga

Marcus Cavalcanti – Secretário do Seinfra (foto: Divulgação)

Em sua primeira vez como deputado no São Pedro de Heliópolis, Marcelinho Veiga estava todo prosa ao lado de prefeito Ildinho e do secretário Beto Fonseca. Quando tive oportunidade, cheguei perto e perguntei sobre o fiasco da recuperação da estrada. Ele saiu pela tangente e só disse um “Tamo junto”. Foi para o outro lado do palco. Esperamos que esta decepção promova a recuperação da estrada. Agora é preciso fazer justiça: a BA 393 não é responsabilidade do prefeito Ildinho. Há vários vídeos nas redes sociais criticando a colocação de barro nos buracos, para amenizar a situação, com críticas e ironias ao prefeito. O que ninguém diz é que a responsabilidade é do Governo do Estado da Bahia, mais precisamente de Marcus Benício Cavalcanti, secretário de Infraestrutura – SEINFRA. Poupemos até o nome do governador. Este prometeu que mandaria recuperar a estrada até o São Pedro, e o fez. A gestão do processo é do secretário. Ele é o responsável pela lambança. Vamos ver agora como Marcelinho Veiga vai atuar para corrigir o erro. Ainda há tempo.

Landisvalth Lima

Professor, escritor e jornalista. Editou os jornais A Voz da Região (Serrinha-Ba), Tribuna do Nordeste (Ribeira do Pombal-Ba) e A Voz do Sertão (Heliópolis-Ba). Trabalhou na Rádio Difusora de Serrinha e foi repórter colaborador dos jornais Correio da Bahia e Jornal da Bahia. É autor dos livros A mulher do Pé de Cabra, Cariri Sangrento e A Esquerda Bastarda (romances); Patologias Educacionais do Semiárido Baiano (Tratado) e O Avesso do Exato (poesia). Foi professor de Língua Portuguesa dos colégios Brasilia e Colégio do Salvador (Aracaju-Se), Waldir Pires (Heliópolis-Ba), Evência Brito (Ribeira do Pombal-Ba) e Colégio Professor João de Oliveira (Poço Verde-Se). Atualmente mantem o Landisvalth Blog, é professor e Vice-Diretor do Colégio Estadual José Dantas de Souza e administrador e editor do Contraprosa.

Deixe uma resposta